07:19 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    12011
    Nos siga no

    No âmbito dos treinamentos conjuntos dos EUA e Ucrânia Rapid Trident 2017, planejados para setembro, os militares treinarão suas ações de combate no decurso de um conflito militar simulado, "inclusive no leste do país", informou na sexta-feira (3) o representante do Ministério da Defesa da Ucrânia, Dmitry Gutsulyak.

    Soldados norte-americanos em centro da OTAN no Leste Europeu
    © AFP 2021 / Petras Malukas
    No início deste ano, a Suprema Rada (parlamento da Ucrânia) aprovou a decisão do presidente do país, Pyotr Poroshenko, de permitir a destacamentos das Forças Armadas de outros países entrarem no território da Ucrânia em 2017 para participarem de treinamentos internacionais. Em particular, se trata dos treinamentos americano-ucranianos Sea Breeze 2017 e Rapid Trident 2017 que devem ocorrer neste ano. Conforme o documento, os destacamentos militares dos EUA, outros países membros da OTAN e países que participam do programa que será realizado até dezembro de 2017, serão permitidos de entrarem no território do país.

    "Durante os exercícios militares de comando, a atenção principal será prestada à preparação do estado-maior internacional e dos batalhões das brigadas aerotransportada independente e mecanizadas. Esses destacamentos irão participar tanto nas fases de treinamentos de comando como em manobras de campo. Isso contribuirá para o aumento da compatibilidade dos estados-maiores e das tropas da brigada internacional. O cenário de treinamentos será o mais aproximado possível de condições dos conflitos atuais, incluindo o do leste do nosso país", disse Dmitry Gutsulyak no briefing.

    O Ministério da Defesa da Ucrânia declarou que neste ano cerca de 7 mil militares estrangeiros e 12,5 mil ucranianos irão participar dos exercícios de combate no território da Ucrânia. Além disso, cerca de 1,5 mil efetivos militares ucranianos irão para treinamentos fora do país.

    O presidente da Ucrânia também encarregou o governo de providenciar o acesso e retirada atempados do território ucraniano dos destacamentos dos outros países, bem como a segurança dos cidadãos durante os exercícios.

    Conforme a legislação ucraniana, o funcionamento de quaisquer unidades militares no território do país é proibido, se elas não forem previstas pela lei.  Além disso, não é permitido instalar bases militares estrangeiras no território da Ucrânia, por isso é necessária uma nova lei assinada pelo presidente cada vez que tropas estrangeiras entram na Ucrânia.

    Mais:

    EXCLUSIVO: McCain diz que Trump deveria enviar mísseis Javelin para a Ucrânia
    Ataques das forças da Ucrânia em Donetsk deixam mortos e feridos
    'Cheiro de explosivos detonados paira sobre a cidade': Guerra volta ao leste da Ucrânia
    Presidente da Ucrânia está em Berlim, mas há combates em Donbass – coincidência?
    Para Putin, Ucrânia 'se faz de vítima' porque precisa de dinheiro
    Tags:
    acesso, território, comando militar, treinamento militar, batalhão, lei, legislação, militares, Forças Armadas da Ucrânia, OTAN, Ministério da Defesa, Suprema Rada, Pyotr Poroshenko, EUA, Donbass, Avdiivka, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar