07:10 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos em centro da OTAN no Leste Europeu

    Infantaria dos EUA chega à Estônia

    © AFP 2018 / Petras Malukas
    Europa
    URL curta
    4837

    Uma companhia de infantaria do primeiro batalhão de um regimento de blindados do exército estadunidense chega na sexta-feira (3) à Estônia no âmbito da operação militar Atlantic Resolve (Resolução Atlântica), destinada a apoiar os aliados da OTAN, informou a embaixada dos EUA em Tallinn.

    Uma companhia de infantaria do primeiro batalhão do 68º regimento de blindados do exército dos EUA chega à Estônia. A companhia está equipada com quatro tanques M1A2 Abrams e 15 veículos de combate Bradley. Os militares vão substituir a companhia do 503º regimento de infantaria da 173ª brigada aerotransportada que cumpria sua missão na Estônia desde setembro de 2016 segundo o sistema de rotação. A instalação do material militar e das tropas é realizado no âmbito da nova fase da operação Atlantic Resolve e tem como objetivo apoiar os aliados da OTAN, em particular, os Países Bálticos e a Polônia.

    Os militares americanos vão ficar na Estônia até o outono até chegarem os destacamentos do batalhão internacional da OTAN. Na cúpula realizada no ano passado em Varsóvia foi decidido posicionar na Letônia, Lituânia, Estônia e Polônia, a pedido desses países, batalhões internacionais segundo o sistema de rotação. Também foi decidido que o pessoal principal desse batalhão na Letônia será do Canadá, na Lituânia — da Alemanha, na Estônia — do Reino Unido e na Polônia — dos EUA.

    O batalhão da OTAN na Estônia contará com 1,2 mil efetivos. Ele será composto por 800 militares do Reino Unido e o resto será fornecido pela França e Dinamarca. Além disso, o Reino Unido enviará veículos blindados Warrior, tanques Challenger 2 e drones de reconhecimento. Entretanto, a França também suprimirá material militar blindado. O batalhão será aquartelado na base militar de Tapa e irá cooperar com a 1ª brigada de infantaria das Forças de Defesa da Estônia.

    Mais:

    Ucrânia e OTAN realizarão primeiros exercícios navais conjuntos em 2017
    A União Europeia precisa da OTAN e dos EUA para se defender? E contra quem?
    Reforço militar: Ucrânia participa de exercícios navais da OTAN no mar Negro
    OTAN quer desenvolver seu sistema antimíssil
    Tags:
    drones, batalhão, tanques, "Atlantic Resolve", treinamento militar, veículos blindados, infantaria, Bradley, Abrams, Forças Armadas, OTAN, Países Bálticos, Grã-Bretanha, Alemanha, Polônia, França, Letônia, Lituânia, Estônia, Europa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik