15:01 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos chegaram à Ucrânia para participar dos exercícios americano-ucranianos Fearless Guardian 2015, 20 de abril de 2015

    Ucrânia autoriza entrada de militares estrangeiros para futuras manobras

    © Sputnik / Stringer
    Europa
    URL curta
    4726
    Nos siga no

    A Suprema Rada aprovou uma lei que autoriza a presença de unidades militares estrangeiras em território ucraniano, ao longo deste ano, com o fim de participarem de manobras internacionais, inclusive dos exercícios ucraniano-americanos Sea Breeze 2017 e Rapid Trident 2017.

    O projeto de lei apresentado pelo presidente Pyotr Poroshenko foi apoiado por 236 parlamentares, sendo que o mínimo necessário é de 226.

    A autorização também abrange os militares norte-americanos, dos países-membros da OTAN e dos participantes do programa Parceria para a Paz que contam com até 3 mil efetivos, além de 6 aviões e helicópteros.

    No território ucraniano é proibida a atuação de quaisquer unidades militares não previstas pela lei e não é permitida a instalação de bases militares estrangeiras. É por isso que de cada vez as tropas europeias apenas são admitidas no território do país após aprovação de uma lei especial apresentada pelo presidente.

    Vale ressaltar que a 10ª disposição dos acordos de Minsk, celebrados em 15 de fevereiro de 2015, impõe que deve ser efetuada a retirada de todas as unidades armadas e material bélico estrangeiros, assim como dos mercenários, do território da Ucrânia sob supervisão da OSCE. Também é exigido o desarmamento de todos os grupos armados ilegais.

    Mais:

    Presidente da Ucrânia está confiante quanto à continuidade de relações com os EUA
    Tem Ucrânia chances de se tornar uma potência nuclear?
    Marinha da Ucrânia adverte sobre deslocamento de material bélico no país
    Tags:
    conflito ucraniano, Acordos de Minsk, Suprema Rada, Pyotr Poroshenko, Europa, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar