12:22 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1447
    Nos siga no

    Cerca de mil militares norte-americanos e equipamento militar da brigada de tanques chegaram ao território polonês, disse o representante oficial do Ministério da Defesa do país, Bartlomiej Misiewicz, na terça-feira (10).

    Tropas norte-americanas serão instaladas na Polônia para missão Resolução Atlântica (Atlantic Reaolve) e participará dos exercícios conjuntos com aliados europeus.

    "Cerca de mil dos efetivos norte-americanos estão no nosso território hoje. A primeira [demanda] do equipamento já atravessou a fronteira polonesa", disse Misiewicz, citado pelo canal de televisão polonês Polsat.

    Segundo ele, a cerimônia oficial de boas-vindas dos soldados norte-americanos será realizada em 14 de janeiro.

    © Sputnik
    Material bélico dos EUA chega à Polônia

    Militares norte-americanos permanecerão na Polônia para operação Resolução Atlântica. A brigada ficará no país de forma rotativa durante nove meses. Como planejado, a rotação será realizada sem pausas, assim, no território polonês, a presença das forças militares norte-americanas será contínua.

    Destaca-se que o grupo de brigada de tanques da quarta divisão do exército norte-americano participará de manobras com aliados europeus. O agrupamento conta com 3,5 mil efetivos, 87 tanques, 18 obuses autopropulsados Paladin, 144 veículos de combate de infantaria e mais de 400 veículos Humwee.

    A OTAN está reforçando sua presença e suas capacidades de defesa na Europa Oriental, focando nos três países Bálticos e na Polônia.

    A Rússia avisou várias vezes que o reforço de tropas e equipamento militar perto da sua fronteira seria um passo provocativo causador da desestabilização da situação na região.

    Mais:

    Autoridades lituanas se assustam com 'pessoas corteses' de brinquedo
    Chancelaria russa: armas nucleares dos EUA na Alemanha são relíquia da Guerra Fria
    Tags:
    tanques, militares, EUA, Europa Oriental, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar