07:42 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    765
    Nos siga no

    Maxim Tucker, jornalista da edição britânica Times continuará escrevendo o artigo sobre o presidente ucraniano com informações comprometedoras apesar das ameaças de Poroshenko e de seus advogados.

    O jornalista britânico falou do assunto com a edição Ukrainskaya Pravda.

    Tucker destacou que o artigo só será publicado se ele conseguir provar as acusações em relação a Poroshenko.

    Se trata de acusações feitas pelo deputado ucraniano Aleksandr Onishenko, que denunciou a corrupção na Suprema Rada (parlamento da Ucrânia). Onishenko afirma estar na posse de conversas telefônicas gravadas que provam que Poroshenko "comprou" os votos de deputados.

    Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, foi acusado de subornar parlamentares para aprovar projetos
    © Foto / Presidência da Ucrânia / Mikhail Palinchak
    Maxim Tucker disse que os advogados lhe ameaçaram com tribunal caso ele divulgue estes materiais. Conforme o jornalista, na carta foi dito que as acusações de Onishenko são falsas e que elas podem prejudicar a reputação do presidente ucraniano.

    Tucker assinalou que ficou surpreendido com esta carta. De acordo com dados na posse do jornalista, a iniciativa da carta pertenceu ao próprio Poroshenko.

    Entretanto a edição ucraniana Ukrainskaya Pravda também foi acusada de estar interessada do artigo de Maxim Tucker.

    O gabinete britânico de advocacia Atkins Thomson comunicou ao jornal ter recebido das autoridades ucranianas o pedido de evitar a publicação das acusações de Onischenko. A Atkins Thomson também declarou que vai impedir quaisquer publicações destes materiais em território europeu.

    Mais:

    Ucrânia pode ficar sem presidente
    Novas revelações comprometedoras aguardam Poroshenko na Ucrânia
    Pesquisa: praticamente metade dos ucranianos apoia a renúncia de Poroshenko
    Jornalistas ucranianos fazem greve em canal internacional
    Tags:
    advogados, corrupto, corrupção, acusações, Pyotr Poroshenko, Reino Unido, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar