00:32 20 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Jens Stoltenberg na cúpula da OTAN em Varsóvia.

    OTAN disposta a reforçar sua presença militar na Europa Oriental

    © Sputnik/ Aleksei Vitvitsky
    Europa
    URL curta
    942

    A OTAN, se tal for necessário, está disposta a fortalecer sua presença militar na Europa Oriental, em resposta ao aumento do poderio militar da Rússia, em particular nos Países Bálticos, disse na quinta-feira (8) o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg.

    "A presença dos batalhões multinacionais nos três Estados Bálticos e na Polónia, bem como a criação de unidades para a integração de forças, pequenas estruturas de estado-maior, visa o estabelecimento da cooperação e coordenação com forças locais como, por exemplo, as forças armadas estonianas, lituanas, letãs e polonesas. Além disso, eles vão ajudar a preparar e planejar o reforço em caso de necessidade", disse ele a jornalistas depois de uma reunião em Bruxelas com o presidente da Estônia Kersti Kaljulaid.

    De acordo com a decisão da cúpula da OTAN de julho em Varsóvia, quatro batalhões multinacionais da Aliança serão implantados em 2017 na Polônia e nos Países Bálticos para a "contenção" da Rússia.

    Como foi repetidamente salientado neste contexto em Moscou, a Rússia não é uma ameaça para ninguém, mas não vai ignorar as ações potencialmente perigosas para os seus interesses.

    De acordo com o Ministério da Defesa russo, todas as ameaças à segurança europeia estão conectadas com a política militar dos EUA que tem sido realizada durante os últimos 10 anos.

    O chanceler russo, Sergei Lavrov, sublinhou que a Rússia não iria ser envolvida em nenhum confronto com os EUA e a OTAN que lhe tentem impor, mas poderá garantir sua segurança em quaisquer circunstâncias.

    Mais:

    Kerry: Trump não poderá mudar compromissos entre EUA e OTAN
    OTAN 'deveria aceitar e incentivar' os interesses comuns com Rússia
    Marinha russa comenta escolta do porta-aviões Admiral Kuznetsov por navios da OTAN
    Lavrov apela para cooperação pragmática e reciprocamente proveitosa com OTAN
    OTAN não pretende abandonar mito sobre a 'ameaça russa'?
    Tags:
    aliança, militar, Ministério da Defesa (Rússia), OTAN, Kersti Kaljulaid, Jens Stoltenberg, Polônia, EUA, Estônia, Rússia, Bruxelas, Europa Oriental
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik