09:12 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    In this image taken from video former Bosnian Serb army commander Gen. Ratko Mladic smiles during his appearance at the Yugoslav war crimes tribunal Tuesday Jan. 28, 2014 in the Hague Netherlands

    Procuradoria pede prisão perpétua ao 'carniceiro dos Bálcãs' no Tribunal de Haia

    © AP Photo/ ICTY, Via Associated Press Television
    Europa
    URL curta
    330330

    Radovan Karadzic é acusado de liderar o cerco a Sarajevo e o massacre de Srebrenica, na Bósnia e Herzegovina.

    O general servo-bósnio Rakto Mladic, acusado de comandar o genocídio de 1995 de milhares de muçulmanos na cidade de Srebrenica, pode ter prisão perpétua decretada. 

    Ele está sendo julgado pelo Tribunal Penal Internacional em Haia, na Holanda, por sua atuação na Guerra da Bósnia, quando era chamado de "carniceiro dos Bálcãs". 

    Mladic, de 74 anos, é alvo de duas acusações de genocídio com o objetivo de criar um Estado sérvio "etnicamente puro" na Bósnia, ao lado do líder político sérvio-bósnio Radovan Karadzic, sentenciado em março a 40 anos de prisão.

    "Seria um insulto às vítimas vivas e mortas e uma afronta à Justiça impor qualquer sentença menor que a mais severa disponível sob a lei: uma sentença de prisão perpétua", disse o procurador do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia, Alan Tieger.

    Os massacres

    Cerca de 8300 bósnios muçulmanos foram brutalmente assassinados entre 11 e 25 de julho em Srebrenica pelo Exército Bósnio da Sérvia e pelos "Escorpiões", uma organização paramilitar. Este foi o primeiro caso de genocídio internacionalmente reconhecido desde a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto. 

    Já o Cerco de Sarajevo aconteceu durante a Guerra da Bósnia pela autoproclamada República Srpska e pelo Exército Popular Iugoslavo. Na ocasião, os militares invadiram a cidade com morteiros, tanques, canhões antiaéreos e rifles sniper.

    Cálculos oficiais mostram que 12.000 pessoas foram mortas e 50.000 feridas durante o cerco, sendo 85% das vítimas civis. A população em Sarajevo caiu em 36% por conta do ataque, considerado o maior cerco da história moderna.

    Mais:

    Bósnia: Polícia captura seis ex-soldados suspeitos de crimes de guerra
    Bósnia e Kosovo fecham o cerco contra extremistas
    Tags:
    Exército Popular Iugoslavo, Segunda Guerra Mundial, República Srpska, Escorpiões, Rakto Mladic, Alan Tieger, Radovan Karadzic, Srebrenica, Sarajevo, Iugoslávia, Holanda, Haia, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik