00:53 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O porta-aviões russo Admiral Kuznetsov

    Marinha russa comenta escolta do porta-aviões Admiral Kuznetsov por navios da OTAN

    © Sputnik / Oleg Lastochkin
    Europa
    URL curta
    24336

    Os navios da OTAN que escoltaram o grupo da Marinha russa, chefiado pelo porta-aviões Admiral Kuznetsov, perto do Reino Unido, não violaram o direito marítimo internacional, informou o comandante-geral da Marinha da Rússia, almirante Vladimir Korolev na segunda-feira (05).

    "Claro que isso chamou atenção, primeiramente dos países da OTAN. Fomos escoltados por até oito navios de guerra até a entrada na região do Reino Unido, mas não houve nenhuma violação do direito marítimo internacional. Essa é prática comum quando acompanhamos grupos que saem ao mar", comunicou Korolev ao canal Rossiya-24.

    Segundo ele, todas as navegações de navios russos são planejadas para serem completamente autônomas. É por isso que a não autorização de abastecimento em Malta e Ceuta não afetou de forma alguma o cumprimento das tarefas. De acordo com o almirante, atualmente, a Marinha russa possui três petroleiros no Mediterrâneo.

    Korolev frisou que "pela primeira vez, após a construção do porta-aviões, a Rússia usou sua aviação naval, grupo aéreo em condições militares, para realizar ataques contra objetos e posições do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia)".

    Até o momento atual, o grupo do porta-aviões cumpriu todas as tarefas ordenadas, sublinhou Korolev.

    Em 15 de outubro, a Frota do Norte da Rússia informou que um grupo de navios militares russos, chefiado pelo porta-aviões Admiral Kuznetsov e composto pelo cruzador Pyotr Veliky, os destróieres antisubmarinos Severomorsk e Vitse-Admiral Kulakov e navios de suporte, foi enviado ao Mediterrâneo para realizar exercícios navais e reforçar as capacidades militares.

    Os caças multifuncionais Su-33, embarcados no porta-aviões, realizaram ataques contra alvos do Daesh e da Frente al-Nusra (organizações proibidas em muitos países, incluindo na Rússia) nas províncias de Idlib e de Homs na Síria.

    Mais:

    Vitse-Admiral Kulakov completa missão no mar Mediterrâneo
    Navio russo Vitse-Admiral Kulakov reboca embarcação de pesca ucraniana para ancoradouro
    Tags:
    violação, abastecimento, petroleiros, direito marítimo, escolta, Su-33, Admiral Kuznetsov, Rossiya-24, Frente al-Nusra, OTAN, Daesh, Frota do Norte, Marinha da Rússia, Vlamidir Korolev, Síria, Homs, Idlib, Ceuta, Malta, Mediterrâneo, Reino Unido, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik