19:26 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidenciável do Partido de Liberdade de direita Norbert Hofer ao lado do líder do partido Heinz-Christian Strache em Viena, Áustria, 22 de abril de 2016

    Presidenciável da Áustria: país não deve ser membro de blocos militares

    © REUTERS/ Leonhard Foeger
    Europa
    URL curta
    0 80

    O candidato à presidência da Áustria Norbert Hofer anunciou que a Áustria pretende manter seu estatuto militar de Estado não alinhado, evitando a adesão a qualquer aliança militar, inclusive a OTAN e o proposto exército da UE.

    Hofer, que é candidato do Partido de Liberdade (FPO), de direita, fez esta declaração em entrevista à Sputnik Internacional.

    "Temos membros da OTAN na UE, porém, a Áustria não faz parte da OTAN, e para mim é importante que nunca faça parte da OTAN", declarou.

    Na opinião dele, a adesão ao bloco militar pode prejudicar a neutralidade do país no futuro.

    Hofer diz que a Áustria precisará duplicar seus gastos militares para alcançar um por cento do PIB partindo dos 0,5% atuais, que não são suficientes para garantir sua segurança.

    Na opinião dele, sendo que o Presidente Federal na Áustria é ao mesmo tempo o Comandante Supremo das Forças Armadas, o exército austríaco deve ser suportado militarmente.

    Segundo a última pesquisa feita pela Agência Europeia de Defesa em 2014, os gastos militares da Áustria constituíram 2,79 bilhões de dólares, ou 0.76% do PIB. No momento, essa cifra equivale a apenas 0,5% do PIB, o que coloca o país ao mesmo nível da Irlanda, Luxemburgo e Papua Nova Guiné, revela o site globalsecurity.org.

    Mais:

    Hackers turcos tentam atacar Banco Nacional da Áustria
    Partido da Liberdade da Áustria ameaçou Bruxelas com referendo para deixar UE
    Tags:
    presidenciável, exército, neutralidade, adesão, gastos, PIB, Forças Armadas, União Europeia, OTAN, Norbert Hofer, Papua-Nova Guiné, Luxemburgo, Áustria, Irlanda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik