10:06 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Nuvens escuras sobre o parlamento alemão, Berlim

    Mídia: Alemanha discute novas sanções contra Rússia por causa da situação na Síria

    © AP Photo/ Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    10016

    O governo da Alemanha discute a possibilidade de introdução de novas sanções contra a Rússia, escreve o jornal The Wall Street Journal alegando uma fonte informal sobre o curso da discussão.

    As restrições, informa a edição, serão uma resposta para a política de Moscou na Síria. 

    Segundo os dados do interlocutor do The Wall Street Journal, neste momento o diálogo sobre as novas medidas restritivas de caráter econômico estão na etapa inicial. Ainda não está claro se a iniciativa será apoiada pelos social-democratas – os parceiros da União Democrata-Cristã da chanceler Angela Merkel na coalizão governamental.

    Entretanto, o representante oficial do Ministério do Exterior da Alemanha, respondendo à pergunta sobre as sanções contra a Rússia, disse o seguinte:

    “Neste momento não conheço ninguém – nem em Berlin, nem em algum outro lugar – que proponha isso [a introdução de sanções contra a Rússia por causa da Síria]”, escreve o WSJ. 

    Porém, o responsável do governo alemão para a cooperação entre a Alemanha e a Rússia, Gernot Erler, disse em entrevista ao portal de notícias do canal televisivo ZDFheute.de que já tem as primeiras reflexões sobre o tema. Ao mesmo tempo, o responsável sublinhou que “a política de sanções na forma que teve no conflito ucraniano não inspira a usar esta medida mais uma vez”. 

    No verão de 2014 Berlim aderiu às sanções europeias, introduzidas na sequência dos acontecimentos na Ucrânia. O Ocidente faz depender o levantamento das sanções do cumprimento dos acordos de Minsk, que visam regularizar a situação em Donbass. 

    Segundo os acordos, Kiev devia até o fim de 2015 realizar uma reforma constitucional que, entre outros aspetos, previa um estatuto especial para algumas áreas (controladas pelas milícias) das regiões de Donetsk e de Lugansk. Porém, as autoridades ucranianas não cumpriram esta parte do documento. 

    O Kremlin considera a ligação entre as sanções e o cumprimento dos acordos de Minsk como absurda uma vez que a Rússia não faz parte do conflito e não é sujeito dos acordos sobre a regularização da situação na Ucrânia.

    Tags:
    sanções, The Wall Street Journal, Angela Merkel, Síria, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik