20:44 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    142
    Nos siga no

    A Ucrânia realizará uma cerimônia nesta quinta-feira aos quase 34 mil judeus assassinados há 75 anos em uma das maiores chacinas do Holocausto nazista, o massacre de Babi Yar.

    Em 29 e 30 de setembro de 1941, 33.771 judeus ucranianos, da antiga União Soviética, foram mortos na ravina de Babi Yar, em Kiev, evento que provoca até hoje um amplo debate sobre a ação dos colaboradores locais nas atrocidades cometidas pelas forças de Adolf Hitler.

    A homenagem de hoje, segundo a agência AFP, contaria com a presença do presidente de Israel, Reuven Rivlin, ao lado do líder ucraniano, Pyotr Poroshenko, e do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. No entanto, Rivlin decidiu encurtar sua visita a Kiev por conta da morte do célebre político israelense Shimon Peres.

    Durante sua passagem pela Ucrânia nesta semana, o presidente de Israel provocou mal-estar entre certos setores da sociedade ucraniana ao criticar a ajuda oferecida por grupos nacionalistas locais às tropas alemãs durante a Segunda Guerra Mundial. Em discurso no parlamento do país, Rivlin destacou que muitos ucranianos foram cúmplices dos nazistas e alertou para o perigo de se esquecer ou negar a gravidade do Holocausto.

    Mais:

    Polônia reconhece genocídio na matança de poloneses por nacionalistas ucranianos
    Nacionalistas do Setor de Direita se rebelam contra seus patrões no governo em Kiev
    Tags:
    Israel, Ucrânia, Babi Yar, União Soviética, Adolf Hitler, Pyotr Poroshenko, Reuven Rivlin, Donald Tusk, Shimon Peres, Segunda Guerra Mundial, Holocausto, judeus, nazismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar