05:40 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Soldados alemães durante exercícios em Neustadt am Ruebenberge, Alemanha, junho de 2016

    Nova união militar da UE será 'alternativa à OTAN e evitará compra de armamentos aos EUA'

    © AFP 2017/ JOHN MACDOUGALL
    Europa
    URL curta
    171960134

    A nova união militar que recentemente foi proposta pela França e Alemanha tentará evitar a duplicação de funções da OTAN. Ao invés disso, funcionará como uma alternativa à aliança e evitará que países da UE comprem grandes quantidades de armamentos nos EUA, informou o jornal russo Izvestia.

    No domingo (11), a mídia informou que o ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, e o seu homólogo da Alemanha, Ursula von der Leyen, lançaram uma iniciativa para a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, de criar um bloco de defesa coletiva da Europa, com a criação de uma nova sede e instalação mais rápida de missões no estrangeiro.

    O documento franco-alemão de seis páginas diz que "no contexto do ambiente de segurança deteriorada…é tempo de reforçar a nossa solidariedade e capacidades da defesa europeia de proteger os cidadãos e fronteiras europeus de forma mais eficiente", informou o Izvestia, citando o jornal francês Le Figaro.

    Destaca-se que, até agora, o Reino Unido tem estado contra a ideia de duplicar funções da OTAN criando uma estrutura alternativa.

    O documento franco-alemão afirma que "tendo em conta a decisão do Reino Unido de sair da UE, temos de agir como 27 [países-membros]".

    Um representante do Partido Popular Europeu disse ao Izvestia que o Brexit não será a razão de desintegração da UE, pelo contrário agora os países europeus têm que trabalhar em conjunto.

    "A proposta dos ministros da Defesa da França e da Alemanha visa fortalecer a cooperação dentro do bloco e criar uma união que seja não somente um forte órgão político e econômico, mas também militar", acrescentou.

    O documento sugere que a UE deva rever toda a estratégia de defesa europeia. Uma das disposições-chave do documento é desistir de compra de armamentos norte-americanos. O documento propôs expandir a produção de sistemas de comunicação de satélites, equipamento de segurança cibernética e completar o desenvolvimento de um drone da classe MALE, elaborado pela França, Itália e Alemanha.

    A Agência de Defesa Europeia (ADE) coordenará as iniciativas propostas.

    O documento também apela para criar um orçamento único de pesquisas militares e comprar drones de reconhecimento.

    Segundo vários jornais alemães e franceses, entre propostas também há a ideia de que as missões conjuntas europeias contra contrabandistas ou piratas devem ser comandadas a partir de um quartel general conjunto e não rotativamente pelos Estados membros.

    Além disso, o Eurocorps em Estrasburgo, um clube militar que reúne a Alemanha, França, Bélgica, Luxemburgo, Itália e Polônia, no futuro pode ajudar o Conselho da União Europeia a planejar as missões para acelerar a instalação.

    Também é indicado que, para reforçar o moral militar dos europeus, poderá ser criada uma nova academia militar ou serem organizados cursos militares europeus em escolas militares nacionais.

    A ADE tentará evitar a duplicação de funções da OTAN e ser uma alternativa à aliança tentando se completar uma a outra, disse o representante da agência ao Izvestia.

    Mais:

    Polônia precisa de sistemas Patriot que quer comprar aos EUA?
    'Planadores poloneses poderão ser dor de cabeça para Força Aeroespacial russa'
    Tags:
    união de defesa europeia, segurança, drone, OTAN, Alemanha, França, União Europeia, Europa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik