07:50 17 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    081
    Nos siga no

    Ancara se sente decepcionada pela posição mantida pela União Europeia, depois da tentativa de golpe militar na Turquia, porque esperava mais solidariedade, declarou o ministro turco para os Assuntos da UE, Omer Celik, na reunião com os chanceleres da União Europeia.

    "Após a tentativa de golpe não vimos a solidariedade esperada da União Europeia, assim eu disse claramente que o Governo está decepcionado", disse Celik ao comentar perante os jornalistas os resultados dessa reunião.

    Ele também disse que não cabe esperar uma modificação da legislação antiterrorista turca, no que a UE insiste e vincula com isso a suspensão do regime de vistos com a Turquia.

    De acordo com Celik, a Turquia continuará cumprindo os acordos assumidos em matéria de migração, especialmente considerando as razões humanitárias, mas não aceitará novas condições enquanto a UE não anule o regime de vistos.

    A Turquia viveu, na noite de 15 de julho, uma tentativa de golpe militar que causou 290 mortos e mais de 1.400 feridos.

    Nos dias seguintes foram detidos ou suspensos em todo o país dezenas de milhares de militares, policiais, juízes, funcionários públicos e professores, as autoridades do país começaram a falar sobre a possibilidade de restaurar a pena capital.

    Os países ocidentais criticaram as ações da Turquia quando souberam das prisões em massa, e qualificaram como inaceitáveis muitas das decisões tomadas pelas autoridades turcas. A UE declarou que, caso a Turquia decida retomar a prática da pena de morte, ela não poderá pretender ser membro da União Europeia.

    Ao comentar este ponto aos jornalistas, Celik afirmou que o restabelecimento da pena de morte não figura na agenda do parlamento turco.

    Mais:

    Erdogan: Turquia continuará combatendo todos os terroristas
    Putin e Erdogan reúnem-se em São Petersburgo
    Financial Times: próxima reunião entre Putin e Erdogan preocupa Ocidente
    Tags:
    Turquia, Omer Celik, União Europeia, golpe militar, adesão, crise humanitária
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar