06:32 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Marcha em apoio à Sérvia em Moscou

    Presidente da Sérvia rejeita sanções contra Rússia

    © Sputnik / Ruslan Krivobok
    Europa
    URL curta
    5271

    A Sérvia não adotará sanções contra a Rússia mesmo que isto lhe seja imposto pela política externa da União Europeia, declarou hoje (16) o presidente sérvio Tomislav Nikolic, durante uma reunião com o vice-presidente dos EUA Joe Biden.

    Biden presta uma visita oficial à Sérvia e à auto-proclamada república de Kosovo para debater pautas como das relações bilaterais com os EUA e do cumprimento de acordos no âmbito do diálogo kosovo-sérvio.

    O encontro com Tomislav Nikolic aconteceu a portas fechadas e seu conteúdo somente foi divulgado pela assessoria presidencial na noite de hoje.

    “Não podemos adotar sanções contra a Rússia, caso isto signifique o alinhamento da política externa [sérvia] com a UE. Somo ligados à Rússia e com os EUA, que abrigam grandes comunidades sérvias” – cita o serviço de imprensa do gabinete de Nicoli.

    O presidente também destacou que apesar de “não existir uma opção melhor para os cidadãos da Sérvia do que o caminho para a UE”, ele não está disposto a assinar com a auto-proclamada república de Kosovo um documento de caráter intergovernamental.

    Biden, por sua vez, teria deixado claro que “os EUA não esperam que a Sérvia faça uma escolha entre eles e a Rússia”, e que apoiam a sua reintegração com a Europa.

    Mais cedo, o primeiro-ministro sérvio Aleksandar Vucic apresentou durante uma sessão da Assembleia Nacional a postura de seu governo com relação à Rússia, deixando claro a intenção de manter laços de cooperação com Moscou.

    Mais:

    Irmandade Eslava 2016: Sérvia e Rússia preparam exercícios aéreos conjuntos
    Ministro da defesa sérvio dissipa conjeturas sobre adesão de Sérvia à OTAN
    Desmascarando o mito sobre 'base militar' russa na Sérvia
    Tags:
    sanções, Joe Biden, Tomislav Nikolic, União Europeia, Sérvia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik