08:31 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Esportes
    URL curta
    0 02
    Nos siga no

    Neymar tem um adversário a menos. O jogador do Paris Saint Germain, da França, e da seleção brasileira, não é mais alvo de investigação sobre possível crime cibernético.

    O juiz Marcel Laguna Duque Estrada, da 36ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, encerrou investigação contra o jogador que divulgou no Instagram fotos íntimas e mensagens da mulher que o acusou de estupro em 2019, segundo informou a agência Associated Press.

    Neymar foi acusado por Najila Trindade em 1º de junho de 2019 e, seguindo estratégia do seu advogado, publicou o material sem autorização de Najila, o que configuraria violação on-line de privacidade. Mas o juiz entendeu que a investigação por parte da Delegacia de Repressão de Crimes Virtuais não justificava sequência.

    A acusação de estupro foi encerrada no dia 8 de agosto de 2019. E no dia 10 de setembro do mesmo ano, Najila passou a responder sobre extorsão e denunciação caluniosa.

    ​Neymar está concentrado com a seleção brasileira para os dois primeiros jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Nesta sexta-feira (9), o adversário será a Bolívia, em São Paulo. Na próxima terça-feira (13), é a vez da seleção peruana, em Lima.

    Mais:

    Neymar doa US$ 1 milhão para combater o novo coronavírus no Brasil
    Neymar e Di María estão com COVID-19, diz jornal francês
    Neymar é expulso e acusa espanhol de racismo: 'Arrependimento é por não ter dado na cara' (VÍDEO)
    Tags:
    crime cibernético, juiz, fotos, investigação, justiça, Instagram, Paris, estupro, Neymar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar