17:43 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Maria Sharapova posa em Paris, com a Taça Suzanne Lenglen, uma dia após vencer o torneio de Roland Garros de 2014

    Sharapova revelou ser objeto de ódio de Serena Williams

    © AFP 2017/ KENZO TRIBOUILLARD
    Esportes
    URL curta
    151664171

    Estrela do tênis mundial, a russa Maria Sharapova, revelou em sua autobiografia, cujo trecho foi publicado em sua conta oficial no Twitter, o motivo do ódio nutrido por Serena Williams contra a atleta.

    Sharapova escreve que Williams começou a odiar ela depois de perder a final do torneio de Wimbledon para a russa, em 2004. Sharapova contou o que aconteceu no vestiário, logo depois da partida final.

    ​"Eu tentei sair de lá o mais rápido possível, mas eu tenho certeza que Serena me ouviu. As pessoas me perguntam com frequência, por que eu tenho tantos problemas em partidas com Williams (perdi 19 dos 21 jogos disputados). Acredito que a resposta está naquele vestiário. Eu acho que ela passou a me odiar pelo fato de eu, sendo ainda uma criança, contra todas as previsões, a ter derrotado em Wimbledon. Acima disso tudo, entretanto, acredito que ela me odiou por eu ter ouvido como ela chorava", revela a jogadora em sua autobiografia.

    Em 2004, aos 17 anos, Maria Sharapova derrotou Serena Williams na partida final de Wimbledon, em dois sets — 6:1, 6:4. Esse foi o primeiro Grand Slam na carreira da russa.

    Maria Sharapova retornou às quadras em abril deste ano, após 15 meses de desqualificação por uso de Meldonium.

    ​A biografia da atleta e empresária russa estará disponível para venda, por enquanto somente em inglês, no dia 12 de setembro.

    Mais:

    Beleza e estilo: Maria Sharapova faz parte do top-ranking do Sports Illustrated (FOTO)
    Sharapova tem pena por doping reduzida
    Maria Sharapova frequenta curso de controle da raiva
    Nunca se renda: Sharapova estuda como tornar-se magnata empresarial
    Tags:
    tênis, biografia, autobiografia, Wimbledon, Serena Williams, Maria Sharapova, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik