13:49 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ryan Lochte, nadador estadounidense

    Exclusivo: nadador americano Ryan Lochte terá que se apresentar à Justiça do Brasil

    © Sputnik/ Alexandr Vilf
    Esportes
    URL curta
    320

    O nadador Ryan Lochte, que fez parte da equipe dos EUA nas Olimpíadas Rio 2016, foi indiciado hoje (25) por falsa comunicação de crime. O advogado criminalista Jonas Tadeu Nunes explicou com exclusividade à Sputnik os procedimentos que terão de ser adotados.

    De acordo com Jonas Tadeu Nunes, o Brasil terá de enviar uma Carta Rogatória à Justiça dos Estados Unidos para que ela faça chegar a Ryan Lochte esta notificação.

    “Ele então será informado que terá de se apresentar à Polícia e à Justiça brasileiras sob pena do processo correr à sua revelia caso não compareça. Como se trata de crime de pequeno potencial ofensivo, Ryan Lochte não deverá ficar preso e, certamente, será condenado à uma pena de reparação de danos. Porém, em sua ficha criminal constará o crime de dano que ele provocou assim como o de falsa comunicação de crime” – explicou o advogado.

    Entenda o caso:

    Na madrugada de domingo, 14 de agosto, Ryan Lochte e três outros integrantes da equipe norte-americana de natação, pararam num posto de combustíveis na Barra da Tijuca, a caminho da Vila Olímpica. Eles haviam saído de uma festa na Casa da França e embarcaram num táxi. No posto, Ryan Lochte quebrou placa de sinalização e danificou vários objetos, entre os quais, o vaso sanitário. O segurança do posto os surpreendeu e ordenou que aguardassem a chegada da Polícia Militar para levá-los à uma delegacia de polícia na qual a ocorrência seria registrada. Como Lochte decidiu pagar pelos prejuízos causados, entregando uma nota de 100 reais e outra de 20 dólares, o segurança permitiu que eles fossem embora. Na manhã da segunda-feira (15), Lochte foi à delegacia fazer registro de que ele e seus colegas teriam sofrido um assalto.

    A Polícia então investigou os fatos, chegando à conclusão de que Ryan Lochte e os demais haviam mentido. Naquela mesma segunda-feira, Lochte deixou o Brasil, embarcando de volta para os EUA. Com os fatos apurados e o inquérito concluído, a DEAT encaminhou o documento à Justiça com o indiciamento de Ryan Lochte.

    Mais:

    Nadador americano perde patrocínio após história falsa de assalto no Rio
    Ministério Público do Rio quer multa mais severa para nadador americano
    Nadador americano pede desculpas no Twitter
    Nadador James Feigen volta aos EUA após pagar R$ 35 mil a instituição assistencial
    Tags:
    justiça, nadador, Jogos Olímpicos, Jonas Tadeu Nunes, Ryan Lochte, EUA, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik