08:28 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    As medalhas para Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio de Janeiro

    Novas medalhas para Jogos Olímpicos e Paraolímpicos produzem ruído especial

    © AFP 2017/ VANDERLEI ALMEIDA
    Esportes
    URL curta
    0 01

    Foi apresentado o design das medalhas a atribuir aos atletas que ficarem nos primeiros lugares dos jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio de Janeiro.

    A cerimônia teve lugar durante uma coletiva de imprensa especial, em que participou o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach. Foram apresentadas 2.488 medalhas – 812 de ouro, 812 de prata e 864 de bronze.

    “Hoje comemoramos o início da contagem final para os primeiros Jogos Olímpicos que ocorrerão na América do Sul”, disse Bach durante a coletiva, citado pelo site dos Jogos.

    Cada medalha pesa 500g, é feita de ouro sem uso de mercúrio e foi fabricada de acordo com as normas mais rigorosas. Para cumprir os critérios ambientais, 30% da composição das medalhas de prata e bronze e 50% da composição das fitas têm origem em materiais reciclados. O estojo das medalhas é feito de madeira da árvore Cordia goeldiana, nativa da América do Sul.

    As medalhas para os Jogos no Rio serão mais grossas na parte central em comparação com a borda, e o nome do vencedor e o  tipo de esporte serão gravados a laser ao longo da borda externa da medalha.

    Estas medalhas também terão uma série de inovações. Assim, dentro de cada uma haverá um pequeno dispositivo que emite ruído, que irá permitir aos atletas com deficiência visual abanar o prémio e reconhecer o seu valor. A medalha de ouro é a mais “ruidosa”, enquanto a de bronze – a mais “silenciosa”.

    Mais:

    Rússia não vê zika como ameaça aos Jogos Olímpicos do Rio
    Temer reúne ministros e diz que virá ao Rio para assegurar ao COI a organização dos Jogos
    Empresa brasileira cria sistema para bloqueio de drones durante os Jogos Olímpicos
    Tags:
    medalha, Jogos Olímpicos, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik