01:57 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Esportes
    URL curta
    331
    Nos siga no

    Gianni Infantino, o secretário-geral da UEFA desde 2009, foi eleito nesta sexta-feira, em Zurique, o novo presidente da FIFA, após uma disputa acirrada com o sheik do Bahrein Salman bin Ebrahim al-Khalifa, decidida apenas no segundo turno.

    Além do suíço e do do sheik bahrenita, outros três candidatos concorriam ao cargo até o início do pleito, quando o sul-africano Tokyo Sexwale decidiu se retirar da eleição, se colocando à disposição do futuro mandatário da entidade máxima do futebol. No primeiro turno, Infantino ficou na primeira posição, mas com apenas 88 votos, 3 de vantagem sobre al-Khalifa, enquanto o príncipe jordaniano Ali Bin Al-Hussein recebeu 27 votos e o diplomata francês Jérôme Champagne conseguiu apenas 7. Como nenhum deles alcançou o mínimo de dois terços dos votos válidos (138 de 207), a eleição foi para o segundo turno com os três melhores colocados.

    Na segunda sessão da votação, o secretário da UEFA conseguiu 115 votos, 11 a mais do que o necessário para vencer a disputa, se tornando, assim, o novo presidente da FIFA. Salman ficou novamente em segundo, com 88 votos, enquanto Al-Hussein teve apenas 4.

    Mais:

    CAS rejeita recurso e mantém liberiano fora da eleição da Fifa
    Cinco candidatos são aprovados para concorrer à presidência da FIFA
    Zico não obtém apoio de cinco federações e deixa eleição da FIFA
    Tags:
    futebol, UEFA, FIFA, Salman bin Ebrahim al Khalifa, Jérôme Champagne, Ali bin al-Hussein, Tokyo Sexwale, Gianni Infantino, África do Sul, Bahrein, Zurique, Jordânia, Suíça
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar