22:32 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Meio-campo do Lokomotiv  Dmitry Tarasov mostrou em 16 de fevereiro 2016, após partida no quadro da Liga da Europa com o clube Fenerbahce, uma camiseta com o retrato de Putin e a inscrição “o presidente mais cortês”

    UEFA pode punir jogador russo por mostrar camisa com Putin em jogo em Istambul

    © REUTERS/ Murad Sezer
    Esportes
    URL curta
    171957316

    O meio-campo do Lokomotiv de Moscou Dmitry Tarasov mostrou nesta terça-feira (16), após a partida no quadro da Liga da Europa com o clube Fenerbahce, uma camisa com o retrato de Putin e a inscrição “o presidente mais cortês” sob o seu uniforme esportivo, o que pode provocar ações disciplinares por parte da UEFA.

    O ato de Tarasov pode ser classificado como violação do ponto 7 do artigo 14 do regulamento disciplinar da União das Associações Europeias de Futebol (UEFA) no qual sublinha-se que “são proibidas quaisquer formas de propaganda ideológica, política e religiosa”. A UEFA pode punir o jogador de maneira severa tendo em conta a crise nas relações russo-turcas depois de um bombardeiro russo Su-24 ser abatido por um caça turco F-16 no espaço aéreo da Síria.

    “Tomando em conta a difícil situação política, as sanções podem ser duras. O jogador ofereceu um ‘ótimo presente’ para si, para o clube e para todos os torcedores”, disse à edição R-Sport um membro do Comitê executivo da União de Futebol da Rússia (RFS, na sigla em russo) e deputado da Duma Estatal (câmara baixa do parlamento russo) Igor Lebedev.

    Porém, o presidente honorário da RFS, Vyacheslav Koloskov, tem uma opinião diferente.

    “Não há nenhum motivo para sanções”, opina.

    “Qual é o problema de ter a imagem de Putin na camisa? Podia ter a imagem de [presidente dos EUA Barack] Obama, do Papa, do chefe da ONU. Isso é com ele [Tarasov], ele não andou correndo pelo estádio com a camisa, não sacudiu ela no ar, não conclamou a nenhumas ações agressivas…”, explicou Koloskov.

    O Kremlin, por sua vez, não quis comentar a ação do jogador do Lokomotiv.

    “Sabe, eu não iria comentar de qualquer maneira negócios de futebol”, disse o porta-voz presidencial russo Dmitry Peskov.

    Lembramos que no primeiro jogo da 1/16 do final da Liga da Europa, o Lokomotiv perdeu para a Fenrbahce 2:0 em Istambul.

    Posição rigorosa da UEFA

    A UEFA tem muitas razões de ser contra quaisquer manifestações de orientação política por parte de jogadores, técnicos e funcionários esportivos. A política foi razão de muitos tumultos durante jogos de futebol, especialmente na região dos Bálcãs.   

    Neste momento, a UEFA tem uma atitude cada vez mais rigorosa quanto ao aparecimento de quaisquer símbolos com sentido político nas tribunas. Assim, em outubro de 2015, a UEFA puniu o FC Barcelona por uma bandeira que simboliza a luta independentista da Catalunha contra a Espanha, que apareceu no jogo da Liga dos Campões contra Bayer.

    Em março de 2015, a UEFA proibiu aos torcedores de mostrar quaisquer símbolos políticos no jogo nas eliminatórias para a Eurocopa 2016 entre o Montenegro e a Rússia. Assim, sob proibição ficaram as bandeiras da República Popular de Donetsk, da Sérvia e a bandeira do antigo Império Russo (popular entre nacionalistas e monarquistas russos).

    Tags:
    lei, escândalo, futebol, esporte, Lokomotiv, UEFA, Vladimir Putin, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik