13:34 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Governador Luiz Fernando Pezão com agentes da Polícia Militar do Rio de Janeiro

    Rio 2016 vai ter centro de combate a terrorismo e mais de 85 mil agentes de segurança

    Shana Reis / GERJ
    Esportes
    URL curta
    136531

    Um contingente de mais de 85 mil homens, sendo 47 mil de segurança, defesa civil e ordenamento e 38 mil das Forças Armadas – este é o plano operacional em preparação para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, considerado como o maior evento já realizado na América do Sul.

    A integração entre as instituições de Defesa, Inteligência e Segurança criou o Plano Estratégico apresentado à imprensa na quinta-feira (31), que vai servir como diretriz para o planejamento das ações definidas pela Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos do Rio 2016.

    O Governo afirma que as experiências positivas dos últimos anos no Brasil em relação a grandes eventos como a Copa das Confederações, a Rio+20, os Jogos Mundiais Militares, a Jornada Mundial da Juventude e a Copa do Mundo de 2014, aliadas aos investimentos em equipamentos, tecnologia e capacitação dos agentes de segurança, fazem com que o Rio esteja preparado para as Olimpíadas.

    O secretário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, Andrei Rodrigues, chamou a atenção para o fato de que esta vai ser a maior operação de segurança pública integrada do Brasil, em que, além da segurança das pessoas e atletas, haverá grande atenção também para as instalações relacionadas aos Jogos. “Esse é o maior evento, a maior Olimpíada de todas, é a maior quantidade de competições, de atletas, de países, que estão em várias regiões aqui e acontecendo muito intensamente”, disse Andrei Rodrigues. “A segurança das instalações passou também a ser uma atividade do serviço público, do setor público, e isso também aumenta a quantidade de profissionais que vão ser empregados.”

    A grande novidade para os Jogos do Rio 2016 é a criação de um Centro de Inteligência voltado exclusivamente para ações contra o terrorismo. Segundo o Secretário Andrei Rodrigues, a unidade só deve ser montada no Rio de Janeiro no ano que vem, pouco antes do início dos Jogos, e vai ser um local de constante troca de informações com agentes de outros países que estarão no Brasil durante as Olimpíadas. “Temos um efetivo de policiais, profissionais de segurança pública de outros países aqui no Brasil, com o foco exclusivo do intercâmbio de informações e de dados, de maneira que nós tenhamos de uma forma muito célere a troca de dados, de informações e conhecimento, e isso qualifica nossa ação, principalmente na prevenção.”

    O Plano Estratégico vai ter o apoio das três esferas de Governo. A cidade do Rio de Janeiro vai contar com 5.810 agentes da Guarda Municipal. Por parte do Governo do Estado, quase 25 mil policiais militares, civis e bombeiros vão atuar durante os Jogos. O Governo Federal vai participar da operação com cerca de 5.500 policiais federais e rodoviários, além da Força Nacional, que é responsável pela segurança na parte interna das áreas de competição, treino e hospedagem e vai atuar com mais de 9 mil profissionais.

    As Forças Armadas também estarão presentes na segurança dos Jogos. De acordo com assessor para Grandes Eventos do Ministério da Defesa, General Luiz Felipe Linhares, cerca de 38 mil homens vão ser mobilizados para a operação dos Jogos Olímpicos. “Nós estamos nessa Olimpíada envolvendo muita gente, todo o efetivo do Rio de Janeiro. E estamos trazendo duas Brigadas de fora do Rio, ou seja, estamos com os nossos efetivos do Rio de Janeiro totalmente empenhados.”

    Toda a operação de segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 vai ficar localizada no Centro Integrado de Comando e Controle do Rio de Janeiro, legado da Copa do Mundo e que contou com recursos federais.

    Mais de 30 instituições de segurança pública das três esferas de Governo vão ficar no Centro, acompanhando tudo o que acontece pela cidade através de monitores e trocando informações.

    Além do Rio de Janeiro, o planejamento integrado de segurança vai se estender também para os locais por onde a Tocha Olímpica vai passar, e nas cidades de Salvador, Belo Horizonte, Manaus, São Paulo e Brasília, onde vão ser realizadas as competições de futebol durante os Jogos Olímpicos. 

    Neste fim de semana dois eventos-teste de triatlo serão realizados na Zona Sul do Rio de Janeiro. A ação faz parte do Programa Aquece Rio do Comitê Rio 2016, que testa as operações das competições e das instalações esportivas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos que vão ser realizados no ano que vem.

    Neste sábado, 1.º de agosto, Copacabana vai receber o Mundial de Paratriatlo, reunindo 60 atletas de 15 países e cujo resultado conta pontos para o ranking classificatório para as Olimpíadas, Neste dia também será comemorado o marco de 1 ano para a realização dos Jogos.

    No domingo, 2, acontecerá também em Copacabana a seletiva de triatlo olímpico, que classifica para os Jogos os três melhores atletas, entre homens e mulheres. A competição reúne 125 atletas de 25 países.

    Durante os dois dias de competição a Prefeitura pretende reduzir em até 40% o tráfego de veículos particulares e táxis na região, através da interdição de vias ao redor da área de competição. Para todos os eventos, a recomendação principal da Prefeitura à população é de usar o transporte público.

    Ao todo 44 eventos vão ser realizados até maio de 2016, quando vão faltar apenas três meses para o início dos Jogos Olímpicos.

    Mais:

    Brasil investe em segurança contra ataques hackers nas Olimpíadas de 2016
    Rio de Janeiro enfrenta desafio de combater violência antes das Olimpíadas
    Violência no Rio: Assaltos com facas preocupam autoridades às vésperas das Olimpíadas
    Tags:
    futebol, Copa do Mundo, Jornada Mundial da Juventude, Jogos Mundiais Militares, Rio+20, Jogos Olímpicos, Comitê Rio 2016, Andrei Rodrigues, Luiz Felipe Linhares, Copacabana, Brasília, São Paulo, Manaus, Belo Horizonte, Salvador, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik