00:48 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    A apresentação do Cirque du Soleil mostrou a história do Canadá, destacando a sua diversidade étnica e cultural

    Cirque du Soleil marca abertura do Pan-Americano de Toronto

    © REUTERS/ Matt Detrich-USA TODAY Sports
    Esportes
    URL curta
    0 9411

    Os Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, no Canadá, foram oficialmente abertos na noite dessa sexta-feira (10), no Rogers Centre, em Toronto.

    A cerimônia que durou mais de três horas foi marcada pela bela apresentação do Cirque du Soleil, que mostrou a história do Canadá, destacando a sua diversidade étnica e cultural.

    Antes do show, ocorreu o desfile das delegações dos países participantes do evento esportivo. O Brasil, com 250 atletas, além de treinadores e membros de comissões técnicas, e com o nadador Thiago Pereira levando a bandeira nacional, foi aplaudido pelo público e autoridades presentes, entre elas, o ministro do Esporte, George Hilton.

    “Foi maravilhoso, uma sensação única entrar com a bandeira do meu país. Não tem coisa melhor. É difícil encontrar palavras para descrever, mas, com certeza, foi maravilhoso e tenho um imenso orgulho de ser brasileiro", disse Thiago Pereira aos jornalistas.

    A entrada das bandeiras da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa) e do Comitê Olímpico Internacional (COI) foi outro momento emocionante. A ginasta canadense tricampeã pan-americana Alexandra Orlando fez uma homenagem póstuma a Mario Vázquez Raña, ex-presidente da Odepa, que morreu este ano. Em seguida, os discursos de Julio Maglione, atual presidente da entidade, e de Saäd Rafi, diretor executivo dos Jogos de Toronto 2015, declararam aberta a 17º edição dos Jogos Pan-americanos. O acendimento da tocha pelo ex-jogador de basquete Steve Nash encerrou a festa de abertura, informou Agência Brasil.

    Tags:
    Jogos Pan-Americanos, Julio Maglione, Odepa, Mario Vázquez Raña, Alexandra Orlando, George Hilton, Thiago Pereira, Toronto, Brasil, Canadá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik