02:11 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Tocha Olímpica dos Jogos de 2016, apresentada nesta sexta-feira (3) em Brasília

    Tocha dos Jogos Rio 2016 vai percorrer mais de 300 cidades

    © AFP 2018 / EVARISTO SA
    Esportes
    URL curta
    0 11

    O Comitê Organizador Rio 2016 apresentou nesta sexta-feira (3), em Brasília, a Tocha Olímpica dos Jogos no Rio de Janeiro, além da Rota de Revezamento por onde a Chama vai percorrer no Brasil. O evento contou com a participação da Presidenta Dilma Rousseff.

    O tradicional símbolo olímpico tem um design inspirado nos quatro pilares da marca Rio 2016, que são o espírito olímpico, a diversidade, a energia e a natureza. Já os desenhos na Tocha representam o céu, as montanhas, o mar e o chão.

    A Tocha Olímpica vai ser acesa na Grécia, como já é tradição, e depois virá para Brasília, onde, em maio de 2016, começa a sua jornada pelo país. O ritual marca os 100 dias anteriores à abertura dos Jogos.

    Durante o evento em Brasília foram anunciadas as primeiras 82 cidades escolhidas para integrar a rota de revezamento da Chama Olímpica, totalizando mais de 300 municípios.

    Ao todo, 12 mil pessoas vão carregar a Tocha por mais de 20 mil quilômetros de estradas e 10 mil milhas aéreas.

    A Tocha Olímpica chegará ao Rio de Janeiro, cidade-sede das Olimpíadas, no dia 5 de agosto de 2016, abrindo oficialmente os Jogos Olímpicos Rio 2016, quando a Chama acenderá a Pira Olímpica no Estádio do Maracanã, onde será realizada a abertura do evento.

    Na cerimônia de apresentação da Tocha Olímpica, o presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, agradeceu o apoio de Governo e de patrocinadores para a realização dos Jogos, e disse que a união de esforços é o maior legado olímpico. “Essa Tocha é o momento da emoção, das lágrimas e da comemoração por todo o país. Essa união de esforços talvez seja o maior legado que os Jogos vão deixar para o Rio e para o nosso país, a união.”

    Nuzman ainda chamou a atenção para os Jogos Olímpicos do Rio 2016 como fator de integração da população brasileira. “Eu acho que isso é o mais importante: integrar o povo brasileiro aos Jogos. Os Jogos são no Rio de Janeiro, mas são do Brasil, e a população brasileira vai participar.”

    O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, falou sobre a importância dos Jogos não só como um evento esportivo, mas por se transformar numa vitrine do Brasil para o mundo. “O esporte é na verdade o motivo, a razão, é a forma de realizar as Olimpíadas, mas, na verdade, as Olimpíadas são um processo em que um país pode se apresentar para o mundo. O grande motivo de as Olimpíadas terem vindo para o Rio de Janeiro, sem dúvida nenhuma, a esse fantástico país que é o Brasil. A gente tem muito orgulho de todo brasileiro se sentir carioca. O Rio de Janeiro estará com muito orgulho representando a todos nós, brasileiros, e mostrando o grande país que nós somos, os enormes desafios que nós temos pela frente, mas as grandes transformações que nós já vivemos e ainda vamos viver.”

    Já o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou que os Jogos serão responsáveis por uma transformação positiva no Rio de Janeiro. “Nós sabemos que muitas dívidas com a população do Rio e da Cidade do Rio, mas eu tenho certeza de que as Olimpíadas deixarão legados extraordinários em todas as áreas, e as proporcionarão isso não só ao Rio, mas a todo o Brasil. A gente está chegando a um ano dos Jogos com todas as obras andando, vamos entregar no prazo.”

    Para o ministro do Esporte, George Hilton, o Fogo Olímpico vai ficar aceso no país mesmo após os Jogos, com a construção de projetos esportivos por todo o Brasil. “O Fogo Olímpico, mesmo depois dos Jogos, vai continuar ardendo no Brasil, porque o Governo trabalha na construção do Sistema Nacional do Esporte, que chegará ao Congresso Nacional dentro de dois meses e que, uma vez tornado lei, elevará nosso esporte muitos patamares acima do que se encontra hoje.”

    Em sua fala, a Presidenta Dilma Rousseff lembrou que o Brasil é o primeiro país da América do Sul a sediar uma Olimpíada, e disse estar confiante em que o país vai responder à altura o desafio que recebeu de realizar os Jogos de 2016. “Nós vamos fazer com grande competência, com hospitalidade, uma Olimpíada histórica, que vai assinalar uma página de paz, prosperidade e entendimento entre os povos do mundo, e também uma página muito importante na história do nosso povo. Essa Tocha Olímpica vai circular pelo Brasil, vai ser empunhada por homens e mulheres, jovens, crianças do nosso povo.”

    A presidente destacou também as parcerias público-privadas na preparação dos Jogos do Rio 2016, garantindo que as obras estão em dia. “De fato, uma das características marcantes dessas Olimpíadas é a participação do setor privado no que se refere ao patrocínio, mas sobretudo na construção da infraestrutura dessa Olimpíada. Nós temos tido uma presença expressiva em investidores privados em PPPs, uma parceria de fato público-privada. As obras estão em dia.”

    A Presidenta Dilma afirmou ainda que o Brasil está pronto para garantir a segurança da realização dos Jogos, assim como aconteceu na Copa do Mundo de 2014. “Nós fizemos uma Copa segura. Se nós fomos capazes de garantir segurança em 12 cidades, somos capazes de garantir segurança em uma cidade. Eu tenho certeza também porque nós temos hoje todo um processo e todo um aprendizado nos centros de comando e controle integrados. Nós integramos a nossa segurança. Todos aqueles que quiserem participar dessa Olimpíada que venham aqui, e que venham e participem, com a certeza de que serão muito bem recebidos e que nós teremos condições de dar o atendimento adequado.”

    A partir de agosto e até junho de 2016, começam a ser realizados no Rio de Janeiro 45 eventos-teste das instalações destinadas às competições olímpicas e paralímpicas. O objetivo é aprimorar as condições de realização das disputas esportivas.

    Entre setembro e outubro deste ano, vão ser realizados eventos para veículos de mídia, para que profissionais de todo o mundo possam visitar e conhecer as instalações olímpicas e também o Centro Internacional de Transmissão (IBC), que vai atender a emissoras de TV do mundo inteiro durante os Jogos. Enquanto isso, vários eventos esportivos estão sendo realizados até o fim do ano e vão servir como treinamento e teste para os competidores brasileiros.

    Mais:

    Jogos Indígenas vão reunir atletas de todo o mundo em Palmas, em outubro
    No Dia Olímpico, Rio apresenta a Dilma Rousseff um balanço da preparação dos Jogos 2016
    Jogos Militares da Rússia terão quatro vezes mais estrangeiros
    Segurança não preocupa prefeito do Rio para os Jogos de 2016
    Tags:
    Jogos Olímpicos, Copa do Mundo, Eduardo Paes, George Hilton, Luiz Fernando Pezão, Carlos Arthur Nuzman, Dilma Rousseff, América do Sul, Grécia, Rio de Janeiro, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik