11:10 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Esportes
    URL curta
    0 31
    Nos siga no

    O Comitê Olímpico Internacional (COI) garantiu, nesta quarta-feira, que o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, não defende a ideia de adotar boicotes a eventos esportivos na Rússia, apesar de declarações recentes dele sobre tal ato.

    No mês passado, o líder ucraniano sugeriu aos aliados europeus que deveria "ser discutida" a possibilidade se boicotar a Copa do Mundo da FIFA de 2018, marcada para a Rússia. Antes disso, ainda este ano, entre os dias 24 de julho e 9 de agosto, a Rússia vai sediar o Mundial de Esportes Aquáticos em Kazan.

    Nesta quarta-feira, porém, o COI garantiu que não vai acontecer um boicote da Ucrânia. Segundo a Agência Estado, o órgão enviou um comunicado afirmando que "o presidente ucraniano disse que ele era 'contra boicote esportivo'" em uma reunião com Thomas Bach, presidente do COI.

    No encontro, que ocorreu nesta terça-feira, Bach destacou que "boicotes são incompatíveis" com uma resolução da Organização das Nações Unidas que apoia a autonomia do esporte incentivando a "participação plena".

    Um comunicado do governo da Ucrânia sobre a reunião em Lausanne, contudo, não especifica a posição de Poroshenko sobre boicotes. No vago texto, o presidente afirma apenas que "os valores olímpicos são de particular importância para a Ucrânia".

    Mais:

    Pyotr Poroshenko mistura política e esporte e pede boicote à Copa do Mundo de 2018
    Joseph Blatter critica pedidos de boicote às Copas da Rússia e do Qatar
    Tags:
    boicote, Olimpíada, Mundial de Esportes Aquáticos, Copa do Mundo, Comité Olímpico Internacional (COI), COI, Thomas Bach, Pyotr Poroshenko, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar