14:30 25 Março 2017
Ouvir Rádio
    Flores depositadas no local de assassinato de Boris Nemtsov
    © Sputnik/ Ramil Sitdikov

    Morte de Nemtsov pode ser ligada à intervenção do Ocidente

    Entrevistas
    URL curta
    0 690120

    Assassinato do opositor fomenta ódio político, diz jornalista brasileiro.

    Há uma intervenção visível do Ocidente em vários países, afirmou em entrevista à Sputnik o cronista Mário Russo. A recente morte em Moscou do político opositor Boris Nemtsov parece enquadrar com esta hipótese.

    Segundo o especialista, o assassinato de Nemtsov pode ter sido uma ação que faz parte do fomento de ódio político. O doutor Russo explica que o crime ajuda a subir o nível de tensão:

    “A estratégia é você fomentar a divergência, a instabilidade política, a utilização dos meios de oposição, que são financiados, treinados, apoiados, e quando a coisa estoura, a alegação é seguinte: ‘É a voz das ruas’. Mas quem é que fez crescer a voz das ruas?”

    O jornalista acredita que o crime constitui mais uma “tentativa de isolamento da Rússia”, para criar a imagem negativa do país e provocar um “movimento de insurgência, de instabilidade política”.

    Além disso, Mário Russo lembra que a reação dos EUA foi tão rápida que até gera suspeita: “parece que os Estados Unidos tiveram uma nota já pronta”.

    A possibilidade de atuação do governo russo no assassinato de Nemtsov é, no entanto, duvidosa: qualquer governo que matasse um opositor em plena situação de isolamento do país “daria tiro no próprio pé”, afirma o cronista.

    Tags:
    Boris Nemtsov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik