01:11 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    2242
    Nos siga no

    Os reguladores mais poderosos da China intensificaram nesta sexta-feira (24) a repressão nacional contra moedas digitais, com uma proibição geral de todas as transações de criptografia e mineração criptográfica, atingindo moedas como bitcoin e outras moedas importantes.

    Dez agências chinesas, incluindo o Banco Central, se comprometeram a trabalhar juntas para extinguir a atividade "ilegal" de moedas digitais, informa a agência Reuters.

    "Desta vez ficou muito claro que a China não apoiará o desenvolvimento do mercado de moedas digitais, pois isso vai contra suas políticas de estreitar o controle do fluxo de capital e das grandes tecnologias", disse George Zarya, diretor executivo da Bequant Crypto Exchange em Londres, no Reino Unido, citado na matéria.

    O Banco Popular da China declarou que as moedas digitais não devem circular como moedas tradicionais e que as bolsas estrangeiras estão impedidas de prestar serviços a investidores do continente através da Internet, cortando a entrada de bolsas como a Coinbase (COIN.O) e Binance da segunda maior economia do mundo.

    O mesmo órgão também impediu que instituições financeiras, empresas de pagamento e empresas on-line facilitem o comércio de moedas digitais a nível nacional.

    O governo chinês vai "reprimir resolutamente a especulação de moedas digitais e atividades financeiras e comportamentos errados relacionados [com ela] com o objetivo de salvaguardar as propriedades pessoais e manter a ordem econômica, financeira e social", disse o Banco Popular da China em um comunicado citado pela Reuters.

    O bitcoin, a principal moeda digital do mundo, caiu mais de 6% para US$ 42.217 (cerca de R$ 226 mil) de acordo com as notícias, tendo anteriormente caído cerca de 1%.

    A declaração desta sexta-feira (24) é a mais detalhada até agora dos mais poderosos reguladores do país, ressaltando o compromisso de Pequim em desestabilizar o mercado criptográfico chinês.

    "Há um nível de pânico no ar", disse Joseph Edwards, chefe de pesquisa da Enigma Securities, uma corretora de divisas criptográficas em Londres.

    Mais:

    EUA revelam sistema de mísseis para romper defesa antiaérea da Rússia e China, diz mídia (VÍDEO)
    Chefe do Tesouro dos EUA adverte para 'catástrofe econômica' se teto da dívida não for aumentado
    Chancelaria da China revela mais de 100 exemplos de alegada interferência dos EUA em Hong Kong
    Tags:
    China, Banco Central da China, Banco Popular da China, criptomoeda, comércio, restrições
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar