06:25 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    1180
    Nos siga no

    Medidas de estímulo econômico por parte de governos e bancos centrais aumentaram a demanda por commodities. Em abril, as exportações da China aumentaram inesperadamente.

    Os preços globais dos metais industriais caíram depois que a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC, na sigla em inglês) instou as empresas de commodities no país a manterem as "ordens normais de mercado".

    A China já havia anunciado na semana passada que intensificaria as medidas em torno da oferta de commodities, dizendo que reduziria os preços "irracionais".

    Essa nova abordagem surge depois que os preços dos metais dispararam nos últimos meses, à medida que as principais economias emergiam da pandemia do novo coronavírus. Cobre e alumínio estavam entre os afetados.

    Nesta segunda-feira (24), na bolsa London Metal Exchange, o cobre caiu 1,6% para US$ 9.881 (aproximadamente R$ 52.560) por tonelada métrica, enquanto o alumínio caiu 1,09% para US$ 2.370 (R$ 12.606) por tonelada métrica, reporta o portal da BBC News.

    De acordo com o Global Times, as principais empresas chinesas de aço, ferro e alumínio estavam entre as "convocadas coletivamente" no domingo (23) para entrevistas e que a reunião do NDRC.

    Citando uma nota do NDRC, a mídia chinesa afirma que a reunião foi realizada por causa do aumento contínuo e drástico de algumas commodities desde o início deste ano.

    Latas de alumínio
    Latas de alumínio

    Investidores cautelosos

    Os investidores de commodities também ficaram com um pé atrás depois que a administração do presidente norte-americano Joe Biden disse na sexta-feira (21) que o investimento em infraestrutura caiu de US$ 2,25 trilhões (R$ 12 trilhões) para US$ 1,7 trilhão (R$ 9 trilhões).

    Com cortes no plano de gastos em banda larga, estradas e pontes, a demanda por minério de ferro e cobre pode ser contida, relata a BBC News.

    Ainda assim, enormes medidas de estímulo econômico por parte de governos e bancos centrais em todo o mundo aumentaram a demanda por commodities. Em abril, as exportações da China subiram inesperadamente, já que a rápida recuperação dos EUA da pandemia de COVID-19 ajudou a estimular a demanda.

    As exportações da China em dólares aumentaram mais de 32% em relação ao ano anterior. No mesmo mês, as importações cresceram pelo ritmo mais rápido em mais de uma década, um aumento de 43% em relação ao ano anterior.

    Mais:

    Ouro à prova de crises: por que nem mesmo coronavírus consegue rebaixar esse metal precioso?
    Brasil vê risco de inflação ultrapassar meta definida pelo Banco Central em 2021?
    Cúpula do Clima: Bolsonaro promete zerar gases poluentes até 2050, antecipando a meta em 10 anos
    Detectada estrela recordista em carência metálica que pode explicar evolução inicial do Universo
    Tags:
    bolsa de valores, EUA, China, aço, alumínio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar