00:50 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    342
    Nos siga no

    Durante evento virtual, investidor alemão, que é um grande investidor em empreendimentos de moedas virtuais, disse que acredita que a mais famosa criptomoeda do mundo pode estar minando os EUA.

    O governo chinês pode estar apoiando o bitcoin, a criptomoeda mais importante do mundo, como uma forma de minar a política externa e monetária dos EUA, afirmou o bilionário alemão Peter Thiel, cofundador do serviço de pagamentos on-line PayPal.

    "Mesmo sendo uma pessoa pró-criptografia e pró-bitcoin maximalista, eu me pergunto se, neste ponto, o bitcoin também deve ser considerado em parte como uma arma financeira chinesa contra os EUA", disse o cofundador do PayPal, Peter Thiel.

    Thiel, que é um grande investidor em empreendimentos de moedas virtuais, bem como nas próprias criptomoedas, defende que os EUA deveriam considerar regulamentações mais rígidas sobre criptomoedas. O bilionário também disse que a China tentou denominar os negócios do petróleo em euros nos últimos anos, em uma tentativa de minar a posição global do dólar norte-americano.

    "Isso ameaça o dinheiro fiduciário, mas ameaça especialmente o dólar norte-americano [...]. Acho que o euro, você pode imaginar como parte de uma arma chinesa contra o dólar, a última década não funcionou realmente assim, mas a China gostaria de ver duas moedas de reserva, como o euro", disse Thiel durante evento virtual realizado para membros da Fundação Richard Nixon.

    O investidor de risco especulou que Pequim não quer realmente que o yuan chinês se torne a moeda de reserva global, alegando que o governo teria que "abrir suas contas de capital", entre outras medidas "que eles realmente não querem fazer".

    "A China quer fazer coisas para enfraquecer [o dólar], a aposta longa da China é o bitcoin e, talvez, de uma perspectiva geopolítica, os EUA deveriam estar fazendo algumas perguntas mais difíceis sobre exatamente como isso funciona", concluiu Thiel.

    Mais:

    Após recorde histórico de alta, bitcoin registra maior desvalorização desde março
    Bitcoin estabelece novo recorde e atinge US$ 35 mil
    Envolvidos na invasão do Capitólio teriam recebido mais de US$ 500 mil em bitcoin de doador francês
    Bitcoin pode se tornar verdadeira moeda alternativa após compra bilionária da Tesla, diz Bloomberg
    Tags:
    Bitcoin, bitcoin, bitcoin, PayPal, EUA, dólar, Dólar, dólares, China, criptomoedas, Criptomoedas, criptomoeda, criptomoeda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar