20:49 22 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O metal precioso perdeu quase 13% de seu valor desde janeiro de 2021, razão pela qual um funcionário da empresa BlackRock diz que uma recuperação econômica será "um vento de proa para o ouro".

    O ouro está deixando de ser eficaz como um seguro contra os movimentos no mercado de ações e a inflação e enfrenta o risco de desvalorização com a recuperação econômica pós-pandêmica, adverte Russ Koesterich, um gerente de portfólio da empresa de investimentos BlackRock, citado pela agência Bloomberg.

    Segundo ele, a capacidade do metal precioso de proteger os investidores da inflação "tem sido algo exagerado". Embora continue uma reserva de valor razoável no longo prazo, é menos confiável na maioria dos horizontes de investimento, observa em uma publicação citada pela mídia.

    Apesar da recente recuperação, o preço da barra caiu até agora em 2021, ao passo que a recuperação econômica ganha mais tração e os rendimentos das obrigações norte-americanas aumentam.

    No entanto, ele não recomenda que os investidores se livrem do ouro. Pelo contrário, Koesterich diz que mantê-lo na carteira junto com outros ativos ajuda a equilibrar os altos e baixos de outros títulos, especialmente os preços das ações.

    Neste momento, o metal amarelo não funciona bem como cobertura contra a taxa de inflação, embora tenha funcionado contra o dólar dos EUA. Apesar de tudo, o ouro continua demonstrando uma forte relação inversa com a moeda dos EUA, aponta o especialista.

    "Sem uma opinião firme sobre um dólar em declínio, eu teria menos ouro", escreve o funcionário da BlackRock.

    No fim da sexta-feira (12), o preço da onça de ouro estava sendo negociado a US$ 1.728,16 (R$ 9.596,56), uma queda de quase 13% desde 5 de janeiro, quando valia US$ 1.951,34 (R$ 10.835,89). Enquanto isso, entre os índices bolsistas de referência, o S&P 500 valorizou quase 4% até agora em 2021.

    Hoje as principais economias do mundo estão fazendo tudo o que podem para impulsionar a recuperação pós-pandêmica. Recentemente, a Câmara dos Representantes dos EUA deu luz verde a um projeto de lei de estímulo econômico de US$ 1,9 trilhão (R$ 10,6 trilhões), proposto por Joe Biden, presidente norte-americano.

    "Mais estímulo e melhoria na distribuição de vacinas sugerem a possibilidade de uma ascensão econômica. Se isto ocorrer, é provável que as taxas reais continuem subindo a partir de níveis ainda historicamente baixos. Como foi o caso no mês passado [fevereiro], este provavelmente será um vento de proa para o ouro", conclui Koesterich.

    A queda do preço da barra neste ano foi acompanhada por um declínio constante das participações nos chamados fundos de câmbio garantidos por ouro. O volume global destes produtos caiu para níveis não vistos desde junho de 2020 e perdeu cerca de 150 toneladas até agora em 2021.

    Mais:

    Dólar norte-americano é superado pela 1ª vez pelo ouro nas reservas da Rússia
    Domínio do dólar americano nos mercados globais está chegando ao fim?
    Ouro à prova de crises: por que nem mesmo coronavírus consegue rebaixar esse metal precioso?
    Tags:
    Bloomberg, EUA, Câmara dos Representantes, Joe Biden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar