20:16 12 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    240
    Nos siga no

    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro no país ficou em 0,86%, após ter subido 0,25% em janeiro. Esse foi o maior resultado para o mês desde 2016, quando a inflação registrada foi de 0,90%.

    No ano, o índice já acumula uma alta de 1,11%. Nos últimos 12 meses, o avanço é de 5,20%. Em fevereiro do ano passado, a variação foi de 0,25%.

    Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    A gasolina é a principal vilã dos consumidores nesta alta recente. O preço do combustível subiu 7,11% no período e foi responsável por 42% da inflação de fevereiro, de acordo com o IBGE.

    "Temos tido aumentos no preço da gasolina, que são dados nas refinarias, mas uma parte deles acaba sendo repassada ao consumidor final. No início de fevereiro, por exemplo, tivemos um aumento de 8%, e depois de mais de 10%. Esses aumentos subsequentes no preço do combustível explicam essa alta", informou Pedro Kislanov, gerente da pesquisa, conforme publicado pelo G1.
    O ministro da Economia Paulo Guedes.
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    O ministro da Economia Paulo Guedes.

    Além da gasolina, outros combustíveis também tiveram influência na alta da inflação de fevereiro. O etanol, o óleo diesel e o gás veicular subiram 8,06%, 5,40% e 0,69%, respectivamente.

    Nos últimos nove meses, os combustíveis acumulam alta de 28,44%, ressaltou o IBGE.

    Mais:

    Guedes diz que Brasil pode virar Argentina ou Venezuela: 'É graças a ele', avalia economista
    Isolamento e vacina são receitas para a recuperação econômica do Brasil, diz especialista
    Lava Jato golpeou democracia e destruiu economia, diz cientista política
    Tags:
    economia, preços, diesel, etanol, gasolina, combustível, inflação, IPCA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar