18:48 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    10543
    Nos siga no

    A maior flotilha iraniana de navios cisterna está a caminho da Venezuela para combater a escassez de combustível no país provocada pelas sanções dos EUA.

    De acordo com a Bloomberg, a frota atual é de aproximadamente o dobro da de maio, quando a Venezuela comprou do Irã cinco navios com 1,55 milhão de barris de gasolina.

    As exportações iranianas à Venezuela têm tido tanto caráter político como econômico, opinou o ex-presidente da Associação Iraniana de Exportadores de Petróleo, Gás e Petroquímica, Hassan Josrojerdi.

    "A questão das exportações de combustível do Irã à Venezuela é de natureza política. O Irã havia ameaçado a Administração dos EUA que se atuava contra os petroleiros iranianos destinados à Venezuela, atacaria os navios norte-americanos na região. Felizmente, isso não ocorreu, e os petroleiros iranianos chegaram a salvo a seu destino", observou.

    O especialista também observou que "algum país tinha que ajudar a resolver este problema" e o Irã foi o primeiro a ter esta iniciativa.

    Naturalmente, "o envio desta grande flotilha à Venezuela também tem um componente econômico para nós. A Venezuela está sob as sanções dos EUA e necessita urgentemente de combustível", afirmou.

    Boas-vindas ao petroleiro iraniano Fortune na refinaria El Palito, na Venezuela (foto de arquivo)
    © Sputnik / Marco Teruggi
    Boas-vindas ao petroleiro iraniano Fortune na refinaria El Palito, na Venezuela (foto de arquivo)

    "O Irã, que também é alvo de sanções, envia combustível a outro país que também é alvo de sanções. Recebe uma quantidade correspondente de dinheiro da Venezuela em troca deste combustível sem temer ser sancionado. Assim, para o Irã, a Venezuela é o melhor comprador de combustível", ressaltou.

    As sanções dos EUA impedem a Petróleos da Venezuela não apenas de comprar gasolina, como também aditivos, peças de reposição e contratar serviços para a manutenção de suas refinarias.

    Por esta razão, em junho a Venezuela importou a partir do Irã os primeiros cinco navios carregados com gasolina e com peças.

    Em setembro, os EUA confiscaram quatro petroleiros carregados no Irã com gasolina para Venezuela, causando uma crise em Caracas e provocando o fechamento das estações de serviço no interior do país.

    Mais:

    Partido de Maduro obtém 91% dos assentos da Assembleia Nacional da Venezuela
    Chavismo à vista: qual será o futuro da Venezuela com a nova Assembleia Nacional?
    Especialista não vê ameaça de intervenção em patrulhamento brasileiro na fronteira com Venezuela
    Tags:
    sanções, gasolina, petroleiros, petroleiro, petróleo, Venezuela, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar