14:42 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    337
    Nos siga no

    A União Europeia (UE) busca estabelecer uma nova aliança com os EUA eliminando as tensões provocadas pela administração Trump e enfrentar desafios apresentados pela China, revela o jornal Financial Times citando projeto preliminar.

    O plano tem como objetivo restaurar laços com as frentes comuns sobre várias questões desde regulamentação digital ao combate à pandemia de COVID-19.

    Durante a presidência de Donald Trump, as relações entre Washington e Bruxelas têm sido bastante tensas. UE e a maioria dos países do bloco já felicitaram o presidente eleito Joe Biden.

    Uma das frustrações mais agudas de Bruxelas com os EUA durante a presidência de Trump tem sido a relutância da administração norte-americana em dar à China uma resposta coordenada conjunta, em vez disso Washington decidiu adotar medidas comerciais unilaterais não só contra Pequim, mas também contra a UE.

    "Sendo sociedades democráticas e economias de mercado, a UE e os EUA concordam com o desafio estratégico apresentado pela crescente assertividade internacional da China, mesmo que nem sempre estejamos de acordo quanto à melhor forma de abordar esta questão", segundo escreve o jornal Financial Times, mencionando um esboço do projeto.

    O plano, que será submetido para a aprovação pelos líderes nacionais da UE em uma reunião marcada para os dias 10 e 11 de dezembro, propõe o lançamento de uma nova pauta transatlântica em uma cúpula que deverá ser realizada nos primeiros seis meses de 2021.

    Em meados de outubro, a Organização Mundial do Comércio (OMC) deu formalmente luz verde aos EUA para impor tarifas sobre as importações da UE por um valor anual de US$ 7,5 bilhões (R$ 40 bilhões na cotação atual) como medida punitiva pela ajuda pública recebida pelo consórcio aeroespacial europeu Airbus.

    As sanções dos EUA envolvem tarifas de 25% sobre vários produtos industriais e agrícolas, como uísque escocês, vinho francês, queijo italiano, azeitonas, camisolas, lã ou caxemira. Além disso, se aplicarão tarifas de 10% aos grandes aviões civis.

    Mais:

    Sanções dos EUA são 'ataque à soberania da UE', afirma ex-chanceler alemão
    Merkel: UE deve reconsiderar política de defesa, pois assistência dos EUA não é mais auto-evidente
    Rússia alerta EUA e UE sobre quaisquer intervenções na Bielorrússia
    Tags:
    Casa Branca, Donald Trump, Joe Biden, União Europeia, EUA, sanções econômicas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar