10:34 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    O Ministério da Economia espera por uma queda menor na economia este ano. A previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 4,7% em setembro para atuais 4,5%.

    Os dados foram divulgados nesta terça-feira (17) no boletim MacroFiscal, da Secretaria de Política Econômica (SPE).

    Para 2021, o governo manteve a previsão de crescimento está mantida em 3,2%. A SPE destacou a forte recuperação da indústria e do varejo.

    "As pesquisas mensais do IBGE para estes setores mostraram que o crescimento no terceiro trimestre de 2020 superou a taxa de 20%, apontando que a indústria e o varejo ampliado recuperaram os níveis do começo do ano", escreveram.

    Já o setor de serviços apresentou "bom desempenho" depois da retração acentuada vista no segundo trimestre.

    "O setor de serviços também apresentou bom desempenho após a forte retração no segundo trimestre de 2020, no entanto, vale destacar que a produção dos serviços está bem aquém ao nível de fevereiro deste ano", disse o governo.

    A projeção de taxa de inflação, medida por meio da variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), para 2020 é de 3,13%. Em setembro, a previsão estava em 1,83%.

    "Novamente, o principal responsável pela elevação da projeção é o preço dos alimentos. A evolução do IPCA [a inflação oficial do país] ao longo do ano mostra que a taxa acumulada em 12 meses do grupo Alimentação no Domicílio, após atingir um valor mínimo de 5,06% em março, acelerou até alcançar 18,41% em outubro", aponta o boletim.

    Atualmente, a meta de inflação é de 4% ao ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

    Mais:

    Efeito Bolsonaro? Alta dos juros futuros não aponta 'precipício fiscal', diz economista
    'Dá gosto de ver' retomada da produção no Brasil, diz economista
    Governo do MAS vai enfrentar profunda crise econômica na Bolívia, diz analista
    Terceira maior economia do mundo, Japão cresce 5% no trimestre e sai da recessão
    O que muda com o sistema PIX? Economista comenta novidade e crê em desconcentração bancária (VÍDEO)
    Tags:
    Ministério da Economia do Brasil, PIB, Produto Interno Bruto, Brasil, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar