07:25 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    190
    Nos siga no

    Os analistas da Goldman Sachs previram que as probabilidades de obter resultados positivos para o dólar serão baixas até o final deste ano.

    Os analistas do grupo do banco de investimento Goldman Sachs recomendaram tomar posições curtas frente ao dólar norte-americano, argumentando que os riscos associados com os testes de vacinas e as eleições nos EUA tendem a uma baixa da divisa, informa a Bloomberg.

    Em uma nota dirigida a investidores, os especialistas salientam que as probabilidades de obter um resultado positivo para o dólar até o fim de 2020 são baixas.

    "Os riscos estão distorcidos em direção à fraqueza do dólar, e vemos agora probabilidades relativamente baixas de um resultado mais positivo do dólar: uma vitória de Trump combinada com um relevante atraso da vacina", escreveram estrategistas.

    "Uma 'onda azul' nas eleições dos EUA [em que os democratas venceriam a campanha] e notícias favoráveis a respeito do cronograma da vacina contra o coronavírus poderiam devolver o dólar ponderado ao comércio [...]", continuam.

    Dólar (imagem referencial)
    © CC0 / Pixabay
    Dólar (imagem referencial)

    O índice do dólar norte-americano ICE caiu 3,5% neste ano, ficando ao nível de 93 nesta segunda-feira (12). Este índice, que já foi avaliado em menos de 89 em 2018, poderia implicar uma nova desvalorização de 4%.

    Goldman Sachs recomenda cautela na compra de dólares a curto prazo, sugerindo moedas como euro, dólar canadense e dólar australiano.

    Mais:

    Governo argentino torna compra de dólares mais complicada ao introduzir novas regras
    Sanções dos EUA contra Huawei podem destruir a própria indústria de chips dos EUA, opina economista
    Fortaleza do dólar pode chegar a seu fim em breve, diz Bloomberg
    Tags:
    desvalorização, câmbio, analista, Goldman Sachs, Dólar, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar