05:48 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    22012
    Nos siga no

    O PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC), previsto para começar a funcionar em novembro, entra oficialmente em teste nesta segunda-feira (5).

    Os clientes já podem registrar as chaves digitais de endereçamento para enviar ou receber recursos em 644 instituições financeiras cadastradas.

    O PIX funcionará 24 horas e reduzirá para dez segundos o tempo de liquidação de pagamentos entre estabelecimentos com conta em bancos e instituições diferentes.

    As transações poderão ser feitas através de QR Code ou com base na chave cadastrada.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o economista Henrique Marinho, professor da Universidade de Fortaleza e ex-presidente do Conselho Regional de Economia do Ceará, disse que o Banco Central está entrando na "era virtual".

    "Você vai poder fazer pagamentos, transferência entre pessoas físicas que hoje você não pode fazer se não for pelo banco. O Banco Central está entrando realmente na era virtual, da transferência de recursos, facilitando os negócios entre pessoas físicas e jurídicas", comentou.

    Segundo Marinho, o auxílio emergencial mostrou que no Brasil as pessoas mais idosas e com menor poder aquisitivo já utilizam recursos digitais para fazer pagamentos e receber dinheiro.

    "Hoje nós podemos ver que pessoas de idade, de menos escolaridade, estão com seus celulares fazendo operações bancárias. O auxílio emergencial foi um exemplo disso", lembrou.

    Para o economista, o PIX vai possibilitar que mais pessoas acabem aderindo aos sistemas bancários.

    "Vai possibilitar uma 'bancarização' muito maior de pessoas porque você vai precisar de uma conta, mas uma conta bem mais simplificada, sem custos para a pessoa física", analisou.

    Henrique Marinho destacou que os principais beneficiados de imediato são a população de baixa renda e os microempresários.

    "Com certeza a população de menor poder aquisitivo, que não tem acesso a um banco, vão ser as pessoas mais beneficiadas de imediato", contou.

    Para Marinho, o PIX vai "agilizar a movimentação financeira no país".

    "Obviamente grandes empresas que têm pagamentos vultuosos não vão precisar entrar no PIX para uma agilidade de pagamento, isso vai facilitar os milhões de microempresários individuais e milhões de microempresas. É um grande passo para agilizar a movimentação financeira do país", completou.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Efeito do real desvalorizado no médio e no longo prazo é positivo, defende economista
    Entre brasileiros mais pobres, auxílio emergencial fez renda subir 132%
    Cerca de 5,7 milhões de brasileiros vão deixar de receber parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial
    Tags:
    bancos, transferência, pagamento, Banco Central, economia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar