06:07 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    110
    Nos siga no

    A taxa de desemprego aumentou em 11 das 27 unidades da federação no segundo trimestre em relação aos três primeiros meses do ano.

    Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) Trimestral, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (28).

    A taxa de desocupação do Brasil também subiu, de abril a junho deste ano 13,3% da população estava desocupada ante 2,2% no primeiro trimestre.

    No segundo trimestre do ano passado, a taxa de desocupação era de 12%.

    A maior alta do primeiro para o segundo trimestre ocorreu em Sergipe, cuja taxa de desemprego cresceu 4,3%. Outros aumentos relevantes ocorreram em Mato Grosso do Sul (3,7%) e Rondônia (2,3%).

    A Região Nordeste permaneceu registrando a maior taxa de desocupação (16,1%), apesar da estabilidade no comparativo com o primeiro trimestre de 2020 (15,6%).

    No segundo trimestre de 2020, a taxa foi estimada em 12% para os homens e 14,9% para as mulheres.

    Já a taxa de desocupação desagregada por cor ou raça mostrou que o índice dos que se declararam brancos (10,4%) ficou abaixo da média nacional. Porém as taxas das pessoas que se declararam pretas (17,8%) e pardas (15,4%) ficaram acima.

    Mais:

    Número de negros assassinados no Brasil em 10 anos subiu 11,5%, revela Atlas da Violência
    Agronegócio aumentará ainda mais participação no PIB do Brasil pós-pandemia, diz economista
    Desemprego no Brasil sobe para 13,3% no 2º trimestre, atingindo 12,8 milhões de pessoas
    Desemprego no Brasil sobe durante pandemia e chega a 13,7%, equivalente a 12,9 milhões de pessoas
    IBGE: 12,3 milhões de brasileiros estão desempregados segundo pesquisa PNAD COVID-19
    Tags:
    trabalho, economia, emprego, desemprego, Brasil, carteira de trabalho
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar