00:53 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    2161
    Nos siga no

    O preço do ouro alcançou o valor mais alto em mais de sete anos após a Reserva Federal anunciar que as ações e preços dos ativos poderiam sofrer um impacto significativo causado pela pandemia do novo coronavírus.

    Além disso, o órgão financeiro dos EUA advertiu que o processo de recuperação econômica pode prolongar-se até o final do próximo ano.

    Caso a crise sanitária se agrave, as imobiliárias comerciais poderão estar entre as indústrias mais afetadas, de acordo com o relatório semestral divulgado na sexta-feira (15) pelo Banco Central dos EUA.

    À medida que a propagação do vírus reduzia o crescimento econômico, provocando turbulência nos mercados de ações, levando com que os governos e bancos centrais adotassem novas medidas e estímulos econômicos, o preço do ouro aumentou este ano em 16%.

    O valor do metal precioso subiu em 0,9%, atingindo os US$ 1.760 (R$ 10,3 mil) por onça, sendo este o preço mais alto desde outubro de 2012, escreve Bloomberg.

    A alta nos preços do ouro surge após a divulgação de dados, na sexta-feira, ressaltando quão forte foi o impacto das paralisações de várias atividades e suas consequências na maior economia do mundo.

    As vendas de varejo e a produção de fábricas nos EUA registraram no mês de abril quedas históricas. Em outros mercados o valor da prata subiu 2%, o da platina teve um aumento de mais de 3% e o preço do paládio registrou uma alta de 1,2%.

    Mais:

    Economia global poderia sofrer perdas de até US$ 8,8 trilhões devido ao coronavírus
    PIB desmorona e política de Guedes ficará em 'sinuca de bico' após epidemia, prevê economista
    Investidor não descarta risco de colapso total da economia devido à pandemia
    Tags:
    novo coronavírus, mercado de ações, crise econômica, reservas de ouro, EUA, economia mundial, barras de ouro, ouro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar