22:23 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    9161
    Nos siga no

    Após os primeiros meses de paralisação total devido à COVID-19 na China, as importações de carne bovina ao país asiático foram retomadas em março, permitindo a recuperação dos mercados exportadores.

    "Em março, vimos um impressionante volume de importação. De acordo com os dados da alfândega chinesa, entre os três tipos de carne bovina, suína e avícola, foram compradas 920.000 toneladas e 233.000 de carne bovina. Se contarmos o primeiro trimestre, foram 530.000 toneladas de carne bovina de janeiro a março, aproximadamente 65% mais do que o importado no mesmo trimestre de 2019", afirmou à Sputnik a analista María Julia Aiassa do Mercado Ganadero S.A., da cidade de Rosário, Argentina.

    A paralisação das importações chinesas de carne ocorreu no final de 2019, antes da chegada do coronavírus, por outras razões, como o corte do pré-financiamento para os importadores devido a um suposto aumento de preços no mercado local.

    Só em maio, China devolveu mais de 350 toneladas de carne brasileira
    Arnaldo Alves/ANPr/Fotos Públicas
    Só em maio, China devolveu mais de 350 toneladas de carne brasileira

    Os altos números de março se referem aos embarques que estavam encalhados em contêineres dos portos chineses.

    O acréscimo nas importações chinesas também foi observado no Uruguai, tendo um aumento de 7.000 toneladas entre fevereiro e março deste ano. Já o Brasil exportou aproximadamente 30.000 toneladas por mês durante o primeiro bimestre e 50.000 toneladas em março para a China.

    Na Argentina, os embarques registrados em março estão estimados em 90.000 toneladas contra 45.000 toneladas em janeiro e 28.000 toneladas em fevereiro.

    Carne de vaca
    © flickr.com / Taryn
    Carne de vaca

    "As cidades chinesas começaram a reabrir, 95% dos McDonald's foram abertos, mais de dois milhões de restaurantes abriram no último mês e a atividade foi normalizada", afirmou a analista.

    A China é o segundo maior mercado de carne bovina do mundo, só perdendo para os EUA, e o que mais cresce, graças ao aumento da renda, que elevou as importações em ao menos 20% ao ano nos últimos cinco anos.

    Atualmente, a Argentina é o quarto maior exportador de carne, enquanto o Brasil segue sendo o maior exportador de carne bovina do mundo.

    Mais:

    Puxada pela carne, inflação de 2019 no Brasil fica acima do centro da meta do governo
    Empresa russa Miratorg começa a fornecer carne bovina para Brasil
    Carne bovina brasileira quer superar má fase e retomar liderança na Rússia
    Tags:
    América do Sul, carne, carne de boi, economia, importação, exportação, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar