20:33 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    240
    Nos siga no

    A Comissão Europeia propôs nesta quarta-feira (1º) a redução da jornada de trabalho para ajudar as pessoas a manterem seu emprego em meio à pandemia da COVID-19.

    A proposta é baseada no programa Kurzarbeit da Alemanha, instrumento que permite que o trabalho formal de longo período possa ser reduzido, com cortes de salários.

    O anúncio da proposta foi feita pela chefe da Comissão, Ursula von der Leyen, por uma mensagem de vídeo. No entanto, ela não deu detalhes sobre como o esquema será financiado, mas disse que seria garantido a todos os 27 países da União Europeia.

    "As empresas estão pagando salários a seus funcionários, mesmo que, no momento, não estejam ganhando dinheiro. A Europa agora irá apoiar, com uma nova iniciativa", disse von der Leyen, citada pela agência Reuters.

    Na Alemanha, no programa Kurzarbeit o governo paga parte do salário dos trabalhadores quando as empresas cortam suas horas diante de uma desaceleração econômica para impedir que eles percam o emprego.

    "Dessa forma, as pessoas são poupadas do buraco em suas carteiras durante a crise. Elas podem continuar pagando seus aluguéis e comprando o que precisam. E isso também tem um impacto positivo na economia", completou.

    Segundo a chefe da Comissão Europeia, mais detalhes de seus planos estarão disponíveis na quinta-feira (2).

    "O objetivo é ajudar a Itália, a Espanha e todos os outros países que foram duramente atingidos. E o fará graças à solidariedade de outros Estados membros", afirmou von der Leyen.

    Mais:

    Bolsonaro promete sancionar benefício de R$ 600 para informais nesta terça-feira
    Recessão devido ao coronavírus será mais grave do que inicialmente previsto, alertam especialistas
    Especialista revela quando saberemos devastação exata do coronavírus para economia mundial
    Tags:
    jornada semanal, salário, União Europeia, economia, Comissão Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar