14:49 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)
    427
    Nos siga no

    Governo federal anunciou nesta sexta-feira (27) linha de crédito de R$ 40 bilhões para financiar dois meses de salários de trabalhador de pequenas e médias empresas. 

    O empréstimo será limitado a dois salários mínimos por funcionário. Ou seja, quem recebe um valor maior não ganhará o salário integral. O programa disponibilizará R$ 20 bilhões por mês. 

    A medida, que tem por objetivo socorrer empresas atingidas pela crise do novo coronavírus, foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante coletiva no Palácio do Planalto. 

    'Não vai resolver nada', diz Maia

    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a ajuda emergencial "não vai resolver nada", embora não fosse "ruim", segundo o portal G1. 

    Na quinta-feira (26), a Câmara dos Deputados aprovou projeto que destina R$ 600 para trabalhadores informais por três meses por conta da pandemia de coronavírus.

    Bolsonaro é um crítico do confinamento da população para combater a disseminação da COVID-19, doença causada pelo vírus, e defende um isolamento vertical, abrangendo apenas idosos e grupos de risco. A Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, recomenda o isolamento total. 

    O financiamento estará disponível para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano. O pagamento do empréstimo poderá ser feito em 36 meses, com juros de 3,75% ao ano. Apesar de articulado pelo governo, os bancos disponibilizarão o dinheiro. 

    1,4 milhão de empresas beneficiadas, diz Bolsonaro

    "O dinheiro vai direto para a folha de pagamento. A empresa fecha o contrato com o banco, mas o dinheiro vai direto para o funcionário, cai direto no CPF do funcionário. A empresa fica só com a dívida", disse Campos Neto, segundo o jornal O Globo. 

    Bolsonaro afirmou que devem ser beneficiadas pela medida 1,4 milhão de pequenas e médias empresas, num total de 12,2 milhões de pessoas.

    Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, o Brasil tem 2.915 casos confirmados da COVID 19, com 77 mortes. 

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 (101)

    Mais:

    Bolsonaro diz que não teme coronavírus pois brasileiro pula em 'esgoto' e 'não acontece nada'
    Cuba critica 'mentiras e insultos' dos EUA em meio a propagação do novo coronavírus
    Primeiro caso de coronavírus é registrado na administração de Vladimir Putin
    Coronavírus: casos e mortes crescem e França estende confinamento por mais 2 semanas
    Tags:
    Rodrigo Maia, COVID-19, pandemia, Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, empresas, crédito, Banco Central, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar