21:57 04 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Após a enorme queda nas bolsas de valores de todo o mundo nesta segunda-feira (9), o que espera os investidores? Nos aproximamos de uma nova crise financeira?

    Há uma "enorme diferença qualitativa" entre a situação atual e a crise financeira de 2008. No caso atual, podemos observar um efeito exterior, o coronavírus, que impacta os mercados, enquanto a crise que eclodiu após 2007 foi "endógena", provocada pelo estado geral do sistema financeiro, explica à Sputnik Alemanha Folker Hellmeyer, analista da Solven Invest GmbH.

    A preciosa experiência chinesa

    "Neste momento, esta crise exógena nos leva a uma forma de reavaliação, ninguém sabe o que fazer quanto à COVID-19, falta informação sobre a questão. No entanto, já temos a experiência adquirida na China. De fato, após a crise, que se agravou por aproximadamente seis semanas, as tensões se reduziram. Podemos constatar este fato comparando o número de pessoas contaminadas e o de curadas. Isto sem dúvida pode ser feito no resto do mundo", comenta Hellmeyer.

    Naturalmente, para o analista, isso demandará tempo. Caso nos próximos sete dias haja um aumento do número de pacientes curados, o mercado reagirá.

    Hellmeyer acha que o momento atual é propício para a entrada de novos investidores no mercado, pois, durante momentos de incerteza, toda e qualquer informação pode provocar mudanças colossais, valorizando ou desvalorizando ativos.

    "O surto do coronavírus não representa o fim do mundo", conclui o analista.

    Mais:

    Economista: PEC dos Fundos deve focar em investimentos, não em pagamento de dívida
    Surto de coronavírus é a pior crise de saúde em 100 anos na França, diz Macron
    Banco Central do Brasil reduz previsão de crescimento da economia de 2,4% para 2,1% em 2020
    Tags:
    novo coronavírus, crise econômica, Bolsa de Valores, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar