21:44 04 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    9460
    Nos siga no

    A mais longa expansão econômica da história dos EUA pode ter sido interrompida pelo coronavírus. Turbulência nos mercados de ações dos EUA indica que potência americana poderia já ter entrado em recessão, mesmo sem ter percebido.

    O editor de economia da Bloomberg, Peter Coy, alertou que os EUA podem ter entrado em recessão no mês de fevereiro, interrompendo o período de expansão econômica no país.

    Para ele, o mês de fevereiro pode ter sido o pico do período de expansão contínua da economia norte-americana iniciado em junho de 2009. A era de bonança teria tido longevidade de 128 meses, um recorde na história dos EUA.

    "Esta não seria a primeira vez que os EUA entram em uma recessão econômica sem se darem conta disso", escreveu Coy.

    O especialista lembra que, depois de ter começado a recessão de 2008, o Departamento do Tesouro norte-americano fazia previsões otimistas para o desempenho da economia dos EUA. "Hoje sabemos [...] que a recessão econômica já havia sido iniciada em dezembro do ano anterior", conta.

    Novas pesquisas, publicadas pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), apontam que a economia dos EUA já se encontrava vulnerável antes mesmo da chegada do coronavírus ao país.

    Em janeiro, a probabilidade de que a economia entrasse em recessão entre janeiro e julho de 2020 era de 70%, estipulou o MIT.

    Trader em Wall Street observa queda brusca no índice Dow Jones, em Agosto de 2019.
    © AP Photo / Richard Drew
    Trader em Wall Street observa queda brusca no índice Dow Jones, em Agosto de 2019.

    A queda brusca no desempenho do mercado de ações norte-americano desde janeiro "irá prejudicar o crescimento ao fazer as famílias se sentirem mais pobres e as empresas mais pessimistas", acredita Coy.

    Nesse contexto, "a COVID-19 está impactando uma economia menos robusta do que aparentava". Indicadores negativos na atividade industrial e na curva de retorno do Tesouro dos EUA devem acender algumas luzes vermelhas para investidores.

    Poucos economistas se aventuram em dizer que a economia dos EUA já se encontra em recessão, concedeu o especialista, mas alguns já admitem que um período de retração econômica é eminente.

    O economista chefe da Moody's Analytics, Mark Zandi, acredita que a probabilidade de recessão na economia dos EUA neste ano é de, no mínimo, 50%.

    No mercado de ações as previsões são bem mais pessimistas. Para John McClain, administrador de portfólios de investimentos na Diamond Hill Capital Management, "hoje foi o primeiro dia em que vimos um certo pânico no mercado".

    Na era do coronavírus "o beijo não é recomendável", mas deveríamos estar nos preparando "para dar um beijo de despedida" no crescimento da economia norte-americana, concluiu o especialista em seu artigo publicado na Bloomberg.

    Nesta segunda-feira (9), os preços do petróleo recuaram em cerca de 31%, após a Arábia Saudita cortar o valor do barril e iniciar uma verdadeira guerra de preços. A decisão saudita foi tomada após a reunião entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e a Rússia não ter chegado a consenso sobre cortes na produção, para ajustar a oferta em meio à propagação do coronavírus.

    Mais:

    Bolsas de valores afundam e economia global entra em pânico por causa do coronavírus
    Bitcoin se desvaloriza em 10% seguindo queda acentuada do barril de petróleo
    Bovespa fecha após queda de 10% em dia de pânico nos mercados
    Tags:
    economia mundial, economia, recessão, novo coronavírus, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar