10:54 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    253
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer na sexta-feira (3) que o ataque dos Estados Unidos contra o general iraniano Qassem Soleimani deveria impactar o preço dos combustíveis no Brasil.

    Soleimani foi assassinado por uma ação norte-americana ordenada pelo presidente dos EUA, Donald Trump. A morte do general iraniano fez crescer as tensões entre os Estados Unidos e o Irã.

    Nesta segunda-feira (6), os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, com o preço do barril chegando a tocar US$ 70 o barril.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, Edmar de Almeida, economista especializado em óleo e gás, professor do Instituto de Economia da UFRJ, disse que dificilmente o preço dos combustíveis no Brasil vai aumentar por conta da tensão.

    "Apesar de ter essa escalada da tensão no Oriente Médio, isso teve um impacto relativamente modesto no preço do mercado de petróleo porque os agentes sabem que nós estamos vivendo ainda um momento de grande produção de petróleo fora da OPEP e ainda existe espaço para você normalizar a oferta do petróleo caso a situação no Irã se complique ainda mais", disse.

    Segundo Edmar de Almeida, não há uma ruptura no mercado de petróleo.

    "Nós estamos com os preços em patamar que pode ser considerado normal. Nós não estamos vivendo uma ruptura no preço do mercado de petróleo. O preço no Brasil depende do preço internacional do barril e o preço do dólar. O dólar, por exemplo, já esteve a R$ 4,20. O barril de petróleo já chegou a mais de US$ 70 algumas vezes. Nós não estamos vivendo um momento especial com relação aos preços, por isso não há nenhuma necessidade de mudar a política de preços atual", explicou.

    Edmar de Almeida defende que caso a escalada de tensões seja ainda maior e venha a, de fato, impactar o preço dos combustíveis no Brasil, o governo deve mexer na tributação destes combustíveis.

    "Para você diminuir a volatilidade e combater a carestia é você rever a metodologia tributária do setor de combustíveis do Brasil", completou.

    Mais:

    Irã convoca representante do Itamaraty após nota do governo brasileiro
    'Esse governo não vai nos cansar', diz liderança de caminhoneiros grevistas
    Petrobras decide segurar preço dos combustíveis mesmo com disparada no preço do petróleo
    Protestos no Irã: o aumento no preço dos combustíveis pode levar a uma nova revolução?
    Tags:
    preço do petróleo, preço do diesel, petróleo, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar