12:11 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    8156
    Nos siga no

    Por volta de 76 mil credores sem garantias asseguram ter perdido o acesso ao seu dinheiro.

    Os clientes da plataforma de intercâmbio de criptomoedas canadense QuadrigaCX, que está em falência e que perderam mais de US$ 162 milhões (R$ 663,4 milhões ) exigem a exumação do corpo do seu fundador, que segundo relatos morreu "em circunstâncias pouco claras" aos 30 anos de idade e que era o único que tinha acesso às palavras-passe e conhecimento necessário para poder aceder ao serviço de armazenamento em nuvem, detalha a Global News.

    A criptobolsa, que chegou a ser considerada com a maior plataforma de intercâmbio de criptomoedas no Canadá, anunciou em janeiro deste ano a morte do seu fundador que teria ocorrido no dia 9 de dezembro de 2018 durante uma viagem à Índia, onde ele planejava abrir um orfanato, "devido a complicações da doença de Crohn". Desde aquele tempo, os investidores da plataforma não têm conseguido aceder aos seus depósitos.

    Em uma carta publicada na página da firma de advocacia Miller Thomson, as pessoas afetadas pedem à polícia do Canadá que realize a exumação e autópsia do corpo de Gerald Cotten para "confirmar tanto a sua identidade como a causa da morte, tendo em conta as circunstâncias pouco claras em que sua morte ocorreu e as perdas significativas dos clientes afetados".

    Além disso, os clientes exigem que o processo decorra antes da primavera, estando preocupados com o processo de decomposição do corpo. Cerca de 76.000 credores afirmam que perderam acesso ao seu dinheiro investido.

    Mais:

    Tchau, bitcoin? China planeja pôr fim à mineração de criptomoedas
    Bitcoin em queda livre: criptomoeda tem pior cotação em 6 meses após nova ofensiva da China
    Tags:
    dívidas, falência, Canadá, criptomoeda, blockchain
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar