07:41 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    11216
    Nos siga no

    Os ataques do presidente norte-americano Donald Trump contra a Reserva Federal debilitam a confiança nas instituições democráticas, avisou o ex-presidente do banco central dos EUA Paul Volcker no epílogo da sua autobiografia antes de falecer no passado domingo (8).

    Nesta obra, o economista ressaltou que os EUA e a ordem mundial que Washington tinha ajudado a estabelecer estão enfrentando profundas divergências políticas, econômicas e culturais.

    No entanto, naquela época ele tentava ser otimista, recordando o que sua mãe repetia: os EUA, que tinham sobrevivido a uma guerra civil, a duas guerras mundiais e à Grande Depressão, continuavam sendo líder do mundo livre, um modelo perfeito de democracia, mercados abertos, comércio livre e crescimento econômico.

    Nos dias de hoje, as ameaças ao modelo se tornaram mais que evidentes e a capacidade dos EUA de lhes resistir parece estar diminuindo. Existe um movimento que mina a confiança do país no seu próprio governo, que são seus políticos e instituições, de acordo com Volcker.

    "Atualmente observamos algo bastante diferente e muito mais ameaçador. As forças niilistas […] procuram desacreditar os pilares da nossa democracia: o direito ao voto e eleições honestas, o estado de direito e a liberdade de imprensa, a separação de poderes e a confiança na ciência, bem como o conceito de verdade", escreveu o economista.

    Sem estes pilares, o modelo da América pode cair em um "tipo de tirania" e correr o risco de se extinguir.

    "Quando estava escrevendo meu livro, notei que o presidente Donald Trump não havia atacado a Reserva Federal, sempre independente, o que apreciava. Dizer que isso não é verdade agora, seria dizer pouco", sublinhou Volcker.

    O ex-presidente do banco central disse também que os EUA não tinham tido nenhum presidente desde a Segunda Guerra mundial que procurasse dar ordens à Reserva Federal.

    De acordo com o economista, este é um problema importante, visto que o banco central dos Estados Unidos é uma das instituições governamentais mais importantes, concebida para ser diferente.

    O líder americano criticou várias vezes o banco central pelo aumento da taxa de juros, argumentando que isso poderia afetar o crescimento econômico.

    Mais:

    Planos da Reserva Federal dos EUA e crise que se aproxima são revelados por economista
    'Bolha já explodiu': Reserva Federal só 'maquia' desastre econômico nos EUA, diz analista
    Tags:
    democracia, Donald Trump, Estados Unidos, Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar