17:51 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Plantação de soja.

    Após queda em outubro, importadores chineses aumentam compras de soja brasileira na semana passada

    Agência Estado / Celso Junior
    Economia
    URL curta
    6192
    Nos siga no

    Guerra comercial com os EUA favorece as exportações brasileiras de soja para o gigante asiático, que arrematou às pressas mais 20 cargas do produto na semana passada.

    Compradores chineses arrematam às pressas 20 cargas de soja brasileira, devido a incertezas em relação ao suprimento norte-americano, reportou a Reuters.

    "Comprar do Brasil provavelmente trará uma margem melhor neste momento. Há muita incerteza em relação aos fornecimentos dos EUA, então provavelmente é uma boa ideia garantir pelo menos um pouco [de soja] do Brasil", disse Darin Friedrichs, trader de commodities para a Ásia da empresa INTL FCStone.

    De acordo com as traders, o bom preço do produto brasileiro também garante a vantagem do Brasil, em detrimento dos EUA, como principal fornecedor de soja para a China.

    Compradores chineses diminuíram o volume de importação de soja norte-americana em função do aumento das tarifas de importação impostas ao produto. As tarifas podem ser levantadas caso China e Estados Unidos implementem a chamada "primeira fase" do acordo de comércio para mitigar os efeitos da guerra comercial.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente chinês, Xi Jinping. EUA impuseram tarifas às importações de produtos chineses, dando início à guerra comercial entre as duas potências econômicas
    © AP Photo / Andy Wong, File
    O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente chinês, Xi Jinping. EUA impuseram tarifas às importações de produtos chineses, dando início à "guerra comercial" entre as duas potências econômicas

    Apesar dos líderes de ambos os países terem dado bons sinais em relação ao processo negociador, os mercados continuam inseguros em relação à normalização das relações entre as duas maiores economias mundiais.

    Na China, criadores do maior rebanho suíno do mundo estão vendo o estoque de soja minguar, enquanto a guerra comercial com os EUA entra no seu 16º mês.

    Comércio de soja entre Brasil e China

    A soja é o principal produto exportado pelo Brasil, segundo os dados acumulados de janeiro a outubro deste ano publicados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

    Criador de suínos na China. Soja brasileira exportada é usada, sobretudo, como ração animal
    © AFP 2019 / Peter Parks
    Criador de suínos na China. Soja brasileira exportada é usada, sobretudo, como ração animal

    A China é o principal importador de soja brasileira: dos quase US$ 23 bilhões (R$ 96 bilhões) exportados no acumulado do ano, 76% tiveram como destino o gigante asiático.

    No entanto, houve uma queda de cerca de 22% no faturamento das exportações de soja  no acumulado do ano, até outubro de 2019, e de 26% nos embarques do produto para a China.

    No mês de outubro, a China importou US$1,5 bilhão de soja brasileira, o que representa uma queda em relação ao mês anterior. Em relação a outubro do ano passado, a queda foi de 17%.

    A queda é consequência da diminuição da demanda chinesa pelo produto, gerada, entre outros fatores, pelo surto de peste suína, que já reduziu o rebanho chinês em cerca de 40% no último ano.

    Mais:

    Se Noruega estivesse preocupada com pegada de carbono compraria a soja brasileira, diz produtor
    Brasil tem soja suficiente para suprir gigante mercado chinês?
    Após Trump anunciar 'vitória' sobre a China, fazendeiros dos EUA esperam por detalhes
    Tags:
    exportações, EUA, Brasil, China, soja
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar