04:59 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Líderes dos países membros do BRICS em Brasília

    Combate ao terrorismo deve ser uma das prioridades do BRICS, dizem líderes dos países

    © Folhapress / Pedro Ladeira
    Economia
    URL curta
    Por
    11ª Cúpula do BRICS no Brasil (20)
    5282
    Nos siga no

    Líderes dos países do bloco internacional que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul se reuniram nesta quinta-feira (14) em Brasília para a 11ª Cúpula do BRICS.

    Um dos principais temas do encontro deste ano foi o combate ao terrorismo. Segundo o presidente da Rússia, Vladimir Putin, uma das prioridades do trabalho de seu país durante a presidência do BRICS em 2020 será a luta conjunta contra lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

    "A Rússia durante a presidência planeja trabalhar em estreita colaboração com seus parceiros para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, bem como alcançar o retorno de bens adquiridos criminalmente", disse o líder russo.

    Para o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, o terrorismo segue sendo uma ameaça para todos os países do BRICS.

    "Nós estamos distantes de uma ameaça de guerra mundial, no entanto o terrorismo continua sendo uma ameaça constante", disse Modi.

    O presidente da China, Xi Jinping, alertou sobre problemas relacionados à segurança global.

    "Trabalhamos para fomentar um ambiente de governança e de estabilidade, mas em alguns lugares há ameaças à segurança global", disse o líder chinês.

    Xi Jinping voltou à criticar "o aumento do protecionismo e do unilateralismo" que, segundo ele, geram "déficit de governança".

    "Devemos nos opor ao hegemonismo e a política do poder e adotar uma política construtiva", disse Xi Jinping.

    O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, disse hoje (14) que os países do BRICS poderão aproveitar as vantagens da área de livre comércio que entrará em vigor no continente africano em maio de 2020.

    "A África está mais do que pronta para criar uma área de livre comércio no continente, que entrará em vigor em maio de 2020 […] Os países do BRICS poderão aproveitar as vantagens dessa área de livre comércio", disse.

    Bolsonaro elogia criação de sede do banco do BRICS em São Paulo

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, abriu a reunião do grupo e elogiou a cooperação entre os países do bloco.

    "Hoje, a relevância econômica do BRICS é ainda mais inquestionável e seguirá crescendo nas próximas décadas. A sua pujança no plano econômico, junto à diversidade e à criatividade e o vigor das nossas sociedades e de nossos povos", disse o presidente brasileiro.

    Jair Bolsonaro mencionou a criação de um escritório regional do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) em São Paulo como oportunidade de gerar crescimento e gerar desenvolvimento entre os países.

    "Não poderia deixar de registrar os ganhos na forma de geração de emprego e renda e de infraestrutura sustentável decorrentes da atuação do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB). O Brasil espera que a próxima entrada em operação do escritório regional do NDB para as Américas, com sede em São Paulo, ajude a incrementar a carteira de financiamentos no país", disse o presidente.

    Tema:
    11ª Cúpula do BRICS no Brasil (20)

    Mais:

    Precisamos de ambientes políticos estáveis para fazer investimentos, diz empresário chinês no BRICS
    'Estamos conversando com a China sobre livre comércio', diz Paulo Guedes em evento do BRICS
    Para embaixador da China, BRICS vive 'era de ouro' em meio a mundo volátil
    Tags:
    África do Sul, China, Índia, Rússia, Brasil, economia, cúpula, BRICS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar