18:41 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Sede da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, OPEP, em Viena, Áustria (arquivo).

    Secretário-geral da OPEP diz que Brasil seria bem-vindo ao grupo

    © AP Photo / Ronald Zak
    Economia
    URL curta
    566
    Nos siga no

    O secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Mohammad Barkindo, disse nesta terça-feira (5) que o Brasil seria bem-vindo ao grupo, mas ainda não há nenhum pedido oficial para a entrada do país. 

    “Eles seriam muito bem-vindos para participar”, disse Barkindo a repórteres, segundo publicado pela agência Reuters. 

    No final de outubro, durante viagem para o Oriente Médio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em Riad que os sauditas tinham feiro um convite para o país participar da entidade.

    Ele se mostrou entusiasmado com a proposta. "Particularmente, gostaríamos que integrássemos a OPEP. Sim. Temos potencial para isso. Temos reservas de óleo maiores que alguns países que já integram a OPEP", afirmou na ocasião, segundo publicado pelo jornal O Globo. No entanto, ele disse que era preciso consultar a equipe econômica e o Ministério de Minas e Energia antes. 

    Paulo Guedes não quer participar de 'cartéis'

    Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil “poderia até” ingressar na organização, mas ressaltou que a formação de preços “não faz parte do cardápio” do país e que o governo não está disposto a abrir mão de princípios democráticos, segundo matéria publicada pela agência Reuters. 

    "Participar da OPEP como um fato de reunião de produtores é uma coisa, mas a orientação econômica é de remover cartéis, integrar a uma economia globalizada, permitir a prosperidade de todos os povos em vez da exploração através de cartéis", disse o ministro. 

    Representantes do mercado consideraram como positiva uma possível entrada do Brasil no grupo que reúne os maiores produtores de petróleo do mundo, mas avaliam que é preciso estudar bem a proposta para saber se vale a pena ingressar no grupo. 

    A OPEP, criada em 1960 em Bagdá, no Iraque, conta com 14 países-membros e tem como objetivo centralizar a administração de petróleo de seus integrantes, bem como os preços dos barris de óleo cru e derivados no mercado. Na América Latina, Equador e Venezuela fazem parte do grupo, mas Quito anunciou que deixará a entidade em 2020.

    Mais:

    'Efeito contrário': mídia aponta que sanções dos EUA aumentam demanda por petróleo russo
    Preço da independência: setor petrolífero dos EUA é atingido por onda de falências
    OPEP pode acabar por 'culpa' da Arábia Saudita, acusa ministro iraniano
    Quanto tempo falta para o petróleo acabar no mundo?
    Arábia Saudita nomeia príncipe veterano como ministro da Energia
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, economia, OPEP, petróleo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar