10:43 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Petróleo (archivo)

    China ajuda Venezuela a aumentar produção de petróleo em meio ao bloqueio econômico

    CC0 / Pixabay
    Economia
    URL curta
    8454

    A empresa estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA) e a Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC) ampliaram a planta venezuelana de Mezcla José, no estado de Anzoátegui.

    Com isso, a planta venezuelana passará a produzir 165 mil barris de petróleo por dia, conforme a vice-presidente, Delcy Rodríguez.

    "Podemos certificar que está pronta para produzir e aumentar a produção de 105.000 barris por dia para 165.000 barris, uma conquista extraordinária, quero parabenizar o presidente da CNPC América, Jia Yong, esta é uma das maiores empresas petrolíferas do mundo e que está investindo na Venezuela", afirmou a vice-presidente à emissora estatal venezuelana.

    Rodríguez também destacou que o aumento da produção de petróleo fortalecerá a relação entre os dois países e ajudará a economia venezuelana.

    Um barco-patrulha venezuelano passa pelo petroleiro Kim Jacob carregando 1 milhão de barris de petróleo bruto no estado oriental de Anzoátegui, na Venezuela.
    © AP Photo / El Nuevo Dia,Omar Perez
    Um barco-patrulha venezuelano passa pelo petroleiro "Kim Jacob" carregando 1 milhão de barris de petróleo bruto no estado oriental de Anzoátegui, na Venezuela.

    Além disso, a aliança entre a PDVSA e CNPC garante a produção e a venda do combustível venezuelano apesar do bloqueio econômico que o país enfrenta.

    Em 2018, o governo venezuelano reiterou sua aliança com o gigante asiático na área dos hidrocarbonetos para reforçar as relações bilaterais.

    Mais:

    Jogos de petróleo: por que PDVSA venezuelana troca Lisboa por Moscou?
    Importações norte-americanas de petróleo venezuelano estão no nível zero por 3 semanas consecutivas
    EUA agradece Índia por cortes na compra de petróleo venezuelano
    Tags:
    plantas, produção, China, petróleo, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar