22:02 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Yuan e dólar (imagem referecial)

    China insta a Rússia a aumentar utilização de moeda local em trocas comerciais

    © REUTERS / Jason Lee
    Economia
    URL curta
    9211

    O vice-presidente da China, Wang Qishan, pediu à Rússia que reforce a cooperação financeira entre os dois estados, aumentando o uso das moedas nacionais no comércio bilateral.

    As declarações do político chinês estão de acordo com uma oferta do presidente russo, Vladimir Putin, que sugeriu que tanto a China quanto a Mongólia se unam ao sistema de mensagens financeiras do Banco Central da Rússia e aumentem o uso de moedas nacionais no comércio mútuo. O presidente ressaltou que muitos países, especificamente a Rússia, estão expressando interesse em abandonar a prática atual de usar o dólar em meio à instabilidade nos mercados financeiros globais.

    Durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, Putin criticou o governo dos EUA por transformar o dólar em uma ferramenta para pressionar outros países. Ele também pediu a outros estados que revisem o status atual do dólar à luz do comportamento de Washington.

    Países do BRICS, que incluem tanto a Rússia quanto a China, já que reduziram em 20% o uso do dólar no comércio mútuo. Além disso, de acordo com o último relatório, no ano passado a China reduziu sua participação nos títulos do Tesouro dos EUA em US$ 67,2 bilhões, o que representa uma queda de 5,6%, ao mesmo tempo que impulsionou suas reservas de ouro.

    Pequim tem estado envolvida em uma dispendiosa guerra comercial com os EUA desde 2018, com centenas de bilhões de dólares em bens sendo afetados por pesadas tarifas de ambos os lados. Desde o final do ano passado, os dois países vêm negociando um novo acordo comercial para acabar com o conflito, mas até agora isso não deu certo.

    Tags:
    rublo, Departamento do Tesouro dos EUA, Wang Qishan, Mongólia, Fórum Econômico de São Petersburgo, Vladimir Putin, Banco Central da Rússia, Dólar, yuan, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar